Criadores & Criaturas



"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
"

(Carlos Drummond de Andrade)

ENVIE SUA FOTO E COLABORE COM O CARIRICATURAS



... Por do Sol em Serra Verde ...
Colaboração:Claude Bloc


FOTO DA SEMANA - CARIRICATURAS

Para participar, envie suas fotos para o e-mail:. e.
.....................
claude_bloc@hotmail.com

sábado, 3 de dezembro de 2011

Forma e Grafia de algumas palavras

 Muitas vezes, ao escrevermos textos, corremos o risco de GRAFAR mal as palavras. Quando transportamos isso para o mundo virtual onde a pressa, com frequência, nos põe diante de "saias justas",  acabamos por "pecar" por não termos tempo de fazer as devidas correções. 

Outras tantas vezes, nos deparamos com outro problema: o de não termos agilidade suficiente na hora de digitarmos textos.  Nem todos têm obrigação de transformar seus dedos em máquinas hábeis nessa tarefa repetitiva de tocar as teclas numa produção textual. Daí incorrermos em erros de digitação que muitos confundem com crassos erros de ortografia.

Portanto, para facilitar a tarefa de alguns e a já decantada habilidade de tantos, seguem pequenos "nós" onde nos enovelamos, quando não temos muito tempo disponível para ir além dos corretores ortográficos  eletrônicos. 
Claude Bloc


 ====================================================================

 

Mas/Mais:

Mas: conjunção adversativa, equivale a porém, contudo, entretanto:
Ex.: Tento não sofrer, mas a dor é muito forte.

Mais: pronome ou advérbio de intensidade, opõe-se a menos:
Ex.: É um dos garotos mais bonitos da escola.

Onde/Aonde:

Onde: lugar em que se está ou que se passa algum fato:
Ex: Onde você foi hoje?

Aonde: indica movimento (refere-se a verbos de movimento):
Ex: Aonde você vai?

Que/Quê

Que: pronome, conjunção, advérbio ou partícula expletiva:
Ex: Convém que o assunto seja esquecido rapidamente.

Quê: monossílabo tônico, substantivo, ou interjeição.
Ex: Você precisa de quê?

Mal/Mau

Mal:
advérbio (opõe-se a bem), como substantivo indica doença, algo prejudicial:
Ex: Ele se comportou muito mal. (advérbio)
Ex: A prostituição infantil é um mal presente em todas as partes do Brasil. (substantivo)

Mau: adjetivo (ruim, de má qualidade)
Ex: Ele não é um mau sujeito.

Ao encontro de/De encontro a

Ao encontro de: significa “ser favorável a”, “aproximar-se de”.
Ex: Quando avistei minha mãe fui correndo ao encontro dela.

De encontro a: indica oposição, colisão.
Ex: Suas idéias sempre vieram de encontro às minhas. Somos mesmo diferentes.

Afim/A fim

Afim:
adjetivo que indica igual, semelhante.
Ex: Temos objetivos afins.

A fim: indica finalidade:
Ex: Trabalho hoje a fim de folgar amanhã.

A par/ Ao par

A par: sentido de “bem informado”
Ex: Eu estou a par de todas as fofocas.

Ao par: indica igualdade entre valores financeiros.
Ex: O real está ao par do dólar.

Demais/De mais

Demais:
advérbio de intensidade, sentido de “muito”.
Ex: Você é chato demais.
Demais também pode ser pronome indefinido, sentido de “os outros”.
Ex: Alguns professores saíram da sala enquanto os demais permaneceram atentos às orientações.

De mais: opõe-se a de menos.
Ex: Não vejo nada de mais em seu comportamento.

Senão/Se não

Senão:
sentido de “caso contrário”, “a não ser”.
Ex: não fazia coisa alguma senão conversar.

Se não: sentido de “caso não”.
Ex: Se não houver conscientização, haverá escassez de água.

Na medida em que/ À medida que

Na medida em que: equivale a porque, já que, uma vez que.
Ex: Na medida em que os projetos foram abandonados, os estagiários ficaram desmotivados.

À medida que: indica proporção, equivale a à proporção que.
Ex: A emoção aumentava à medida que o momento da apresentação se aproximava.



Texto produzido por Marina Cabral
Especialista em Língua Portuguesa e Literatura
Equipe Brasil Escola

3 comentários:

Magali de Figueiredo Esmeraldo disse...

Adorei essas orientações. Parabéns pela postagem Claude!

Claude Bloc disse...

Obrigada, Magali...

De vez em quando, até os escritores reconhecidos mundialmente, como Jorge Amado, por exemplo, necessita(va)m da ajuda de dicionários ou de gente disponível para corrigir os possíveis equívocos ou falhas.

Ninguém é infalível, nem todas as pessoas dominam de forma absoluta essa nossa complicada Língua Portuguesa.

Portanto, é facil apontar os erros de quem escreve, mas dificil é ter a humildade de reconhecer que somos humanos e,portanto, falíveis.

Por isso, fico grata a você por essa simplicidade com que agradece, não a mim, mas aos gramáticos e reguladores da escrita.

Abraço,

Da amiga de sempre,

Claude

Edilma disse...

Claude,

Exelente postagem.
Neste novo mundo virtual e seus computadores digitais, as vezes com um simples passar publicamos algo que ainda não estava pronto. Isso já aconteceu muito comigo e precisa um trabalho danado para voltar e corrigir.
Errar é para qualquer um e saber receber as críticas negativas, para poucos...
FELIZ NATAL!