Criadores & Criaturas



"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
"

(Carlos Drummond de Andrade)

ENVIE SUA FOTO E COLABORE COM O CARIRICATURAS



... Por do Sol em Serra Verde ...
Colaboração:Claude Bloc


FOTO DA SEMANA - CARIRICATURAS

Para participar, envie suas fotos para o e-mail:. e.
.....................
claude_bloc@hotmail.com

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

O último "delírio" de Hugo Chávez -- por Armando Lopes Rafael

Durante seu chato e entediante programa semanal de rádio, o semiditador venezuelano Hugo Chávez, foi acometido de novo delírio. O bufão bolivariano, após prestar solidariedade à presidente da Argentina, Cristina Kirchner, que iniciará um tratamento de combate a um câncer de tireoide, afirmou estranhar o fato de cinco chefes de Estado da América Latina estarem sofrendo do mesmo mal: tumor maligno.

Para Chávez, há uma estratégia liderada por norte-americanos para minar os líderes latino-americanos que se identificam com a ideologia esquerdista. Além do próprio, o caudilho lembrou que fizeram – ou estão fazendo – tratamento contra câncer: Dilma Rousseff, Fernando Lugo, Lula e Cristina Kirchner.
Muitas vezes me pergunto o que fez o povo venezuelano para merecer um governante do naipe do coronel Hugo Chávez. Há quase quinze anos no poder, onde implantou um regime socialista e vem se “reelegendo” – por meio de eleições fraudulentas e amordaçamento da mídia, além da perseguição aos dissidentes –, o caudilho Chávez vem destruindo a economia da Venezuela, que só conheceu retrocesso e nenhum avanço em termos econômicos, apesar de aquela nação ser uma das maiores produtoras mundiais de petróleo.

Despreparado, prepotente, colérico e por vezes irascível, Chávez promove – em meio às bravatas e demagogia – o culto a sua personalidade. É comum o culto à personalidade dos dirigentes de governos ditatoriais – como ocorre em Cuba e na Coreia do Norte – ou populistas, como é o caso da Venezuela. Culto à personalidade – define a Wikipédia – é uma estratégia de propaganda política baseada na exaltação das virtudes – reais e/ou supostas – do governante, bem como da divulgação positivista de sua figura. Esse culto inclui constante bajulação ao chefe do governo, por parte dos meios de comunicação – por ele controlados – além de perseguição às pessoas que não rezam pela cartilha do caudilho. Isso ocorre no cotidiano da Venezuela.

Enquanto isso as instituições democráticas da Venezuela passaram pelo processo da deterioração. Além do mais, o petróleo responde hoje por 95% das receitas de exportação daquele País, por 55% do orçamento federal e por cerca de 30% do PIB, configurando-se em uma economia primária e pouco desenvolvida, que importa a maior parte de seus bens e serviços. A inflação está na casa dos 30%, apesar de manipulação dos dados – para menos – feitas pelas autoridades bolivarianas. Falta hoje praticamente de tudo nos supermercados, a começar por papel higiênico, gêneros alimentícios e produtos de limpeza.

Como se não bastasse, a Venezuela, desde 2009 vem sofrendo com apagões sistemáticos, tendo em vista que o governo não investe em infraestrutura, fazendo com que as suas principais usinas hidrelétricas - que fornece mais de 35% da eletricidade do país - estejam quase fechando.

Enquanto isso, as seguidas estatizações feitas por Chávez estão levando a Venezuela rumo ao abismo. Pior: outros dirigentes latino-americanos estão seguindo os caminhos desastrosos de Chávez, como é o caso dos presidentes da Bolívia, Equador e Nicarágua. Como bem definiu a Sagrada Escritura, "Quando um cego conduz o outro, os dois vão para o abismo".

Para desviar a atenção do infeliz povo venezuelano para a sua tragédia, toda semana Hugo Chávez apresenta um programa de rádio onde destila suas loucuras. Esta semana acusou os Estados Unidos de provocar o câncer em líderes latino-americanos...
Conta outra, Chávez!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Esperança significativa - Emerson Monteiro

Sob as irradiações do ano que se aproxima há tendência de falar palavras doces a quem resistiu incólume os derradeiros 365 dias que, pouco a pouco, mergulharam no silêncio do passado. Contraditórios, entretanto, qual esta raça aventureira que habita as léguas deste chão desde o início. Tintos de sangue, troados de canhões, sacudidos de fenômenos naturais. Idos e vividos, transcorrem esses dias no coração das pessoas. Nalgumas, porres homéricos; noutras, fervorosas preces da contrição mais fiel. Raça esquisita, às vezes calculista, supersticiosa. Lava as mãos aos desmandos de elites dominantes, porém chora aos barris quando seu time sofre as derrotas dos campeonatos suburbanos. Ri às gargalhadas diante dos... Ih! quase esquecia que o bom humor anda em baixa e não caberia bem numa comparação. Chora e ri de tudo, ainda que o riso custe caro lá adiante. Bom, isso compõe o enredo das peças encenadas nos palcos dos dias acinzentados ora sofridos. Ninguém queira mover uma palha, pois reagiríamos a ferro e fogo na busca dos direitos negados.

No entanto, vamos nós pelos caminhos do mundo na busca firme dos novos períodos legislativos, novas possibilidades de lucro, outros jornais de manchetes parecidas na relação dos séculos, ruas esburacadas, carros reluzentes, descidas e subidas dos ídolos de barro, flores vivas nos jardins das praças, progressos e civilizações armadas.

Nada melhor, por isso, do que palavras férteis, ricas das fortes doses de imaginação positiva. Florescimento de amores. Luzes de revelações agradáveis. Descobertas de medicamentos poderosos para vencer males do corpo e do espírito. Gostos refinados em músicas inspiradas, ritmos animando as ruas dos movimentos revolucionários. Justiça aprimorando costumes a toda velocidade. Governantes honestos das janelas dos palácios comandando as coletividades em fases incríveis de intensa felicidade; boas administrações públicas afinal. Trabalho envolvente das massas na construção de cidades bonitas, sonhos de morar e passear. Jovens estudiosos a substituir, com sabedoria, os avós e os pais, na festa coletiva da renovação, plena de tranquilidade e paz. Tudo prenúncio, portanto, deste ano que começa cheio de transformação verdadeira na mentalidade humana rumo aos valores brilhantes que adquirimos nas horas anteriores, com sobra de mantimentos. Só a esperança da virtude que supera os erros abandonados. Só o amor em todos, nos dias e meses desta data que logo envolverá de bênçãos o futuro e a história, assim desejo a todos, comigo aqui também.

GRANDE ESPERANÇA PARA 2012


Pedro Esmeraldo

Final de ano queira Deus que não se repitam os mesmos acontecimentos negativos que ocorreram ultimamente.

Infelizmente, nesta pequena grande cidade esquecida pelos políticos da capital que a abandonam, deixando o cratense atoleimado, pois não houve solução que fosse favorável e o Crato caiu no estaleiro da desinteligência política. Não foi coberta com bons procedimentos devido à morosidade dos políticos da terra, visto que entregaram facilmente os pontos da linha enfiada em dois furos pela agulha, não percorrendo os pontos unidos do progresso equilibrado. Não houve nenhuma ligação favorável ao desenvolvimento do progresso financeiro.

Dizemos que os nossos políticos aparvalhados vagam ao acaso irreprimível, visando palavras más e querendo enganar o nosso povo com gestos abomináveis, caindo na constância do desprezo do povo.

De vez em quando, aparecem uns querendo ser agradados com cortesias bajulatórias ou querendo receber distinções honoríficas prometendo reagir e o Crato não é contemplado com obras igualitárias ao seu desenvolvimento.

Notamos bem que, vez por outra, há a entrega de comendas às pessoas sóbrias que sempre merecem ser contempladas, mas ao mesmo tempo este digno povo espera retribuição, pelo menos conservar o pouco patrimônio que nos resta e não permitir mais que seja retirado daqui o resto do patrimônio que nos pertence. Acontece, porém, que aqui e ali aparecem pessoas contempladas mas com gestos irritadores que vem sempre nos deixar vagando à toa e não nos leva a lugar nenhum com gestos falsos e contraditórios.

Rogamos a Deus com muita fé que nos retorne os políticos fortes e ambiciosos como os de antigamente e que nos traga boa fatia do progresso com entusiasmo e concluído com aparência o desenvolvimento equilibrado o que tudo indica alcançaremos com esperança, o pensamento positivo dotado de qualidade técnica.

Vejam bem, pedimos que conclua as obras danificadas. Pedimos graças para que lutem em prol da casa própria e traga bons momentos referentes ao equilíbrio administrativo, unindo todas as forças vivas na campanha eleitoral com pessoas de qualidade no ano de 2012.

Vamos à frente, vamos lutar, acabem as intrigas políticas, já que oposição não significa intrigas, mas sim bom senso. Avante pessoal para bons momentos no ano de 2012.

Crato-CE, 28/12/2011

Autor: Pedro Emeraldo


Pensamento para o Dia 29/12/2011


Pensamento para o Dia 29/12/2011
“Todo mundo procura e se esforça para estar em paz consigo mesmo e com a comunidade ao redor. As pessoas têm tentado obter essa paz acumulando riqueza, o que dá poder sobre os outros e a capacidade de controlar conveniências e confortos. Alguns têm procurado posições de autoridade e influência para que possam moldar eventos adequados para seus propósitos e fantasias. Infelizmente, esses caminhos são cercados de medo e a paz que é obtida por esse modo é passível de extinção rápida e às vezes violenta. Paz Verdadeira (Shaanthi) só pode ser alcançada através do Amor! É o fruto da árvore da vida. Esse fruto de essência doce é envolto por uma casca amarga. A casca amarga simboliza as seis paixões que envolvem o coração amoroso do homem: luxúria, ira, avareza, apego, orgulho e ódio. Aqueles que removem o exterior através da disciplina dura e consistente atingem a doçura interior - a paz tão desejada; essa paz é eterna, imutável e irresistível.”
Sathya Sai Baba

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

De repente - por Claude Bloc



De repente  a Terra despiu-se de suas vaidades e de forma inesperada olhares e gestos tornaram-se confiantes.

Homens, e mulheres puderam encontrar-se com suas diferenças, com suas cores, seus credos e suas bandeiras...

Hoje o Crato inteiro conjugou-se no amor e já não mais imperam as tristezas.

Reina a Chapada e os seus deuses de pedra esculpidos pelo tempo e pelos ventos.

E de repente, a paz deixou de ser fantasia...

Claude Bloc


terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Assim é o NATAL!

Este ano resolvi fazer tudo diferente. Procurei o ambiente para viver um Natal de sorrisos e prenhe de carinho e de amizade. A casa simples e a mesa farta eram os condimentos necessários para o clima natalino que eu precisava (e que todos ansiavam). Escolhi o lugar certo, a família certa, e me misturei entre os sorrisos e as brincadeiras costumeiras da casa, entre essa gente amiga de uma vida inteira.

Cresci entre essa gente, na Serra Verde, no Crato. Fiz-me madrinha, fiz-me amiga, fiz-me irmã. Crescemos juntos. Vivemos sempre unidos pelo sentimento de fraternidade. Choramos juntos, sorrimos juntos... E nos momentos difíceis, sempre soubemos com quem contar. 

É assim que protegemos uns aos outros. Confiamos. Respeitamos as diferenças e acatamos de bom grado as semelhanças e bons gostos. É assim que caminhamos de mãos dadas. Olhos atentos nessa estrada que se estende à nossa frente, onde nos conduzimos movidos pela VIDA.

Assim é o NATAL que penso e gosto: o reencontro, o convívio solidário, o renascer a cada dia.


Famílias: Dantas, Firmino, Bloc

Leitura de um texto de Mundinha Dantas - por Adriana
Zé Firmino (vovô) e Amanda - troca de presentes do "amigo secreto"
Gil curtindo a sobrinha
Altos papos (Ronaldo, Mundinha, Claude)
Claude Bloc

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Lembrando Macário de Brito Monteiro



(Palavras pronunciadas por Helder Macário de Brito na Missa de 7º dia pela Alma de Macário de Brito Monteiro)
 Em nome do grupo de amigos despretensiosos da Farmácia Gentil –  onde Macário tinha cadeira cativa – e no meu próprio nome como seu primo e amigo, desejo dizer à sua família do nosso sentimento, da nossa tristeza pelo passamento do nosso grande e inesquecível amigo. Desejo dizer que, também nós,  sentiremos muito a sua falta, a sua figura de homem bom, sério, prestativo, sereno, respeitável, calmo, responsável, digno de poucas palavras permanecerá para sempre em nossas lembranças.

   Sabemos da dor e da tristeza porque todos passam nestes dias por essa perda irreparável.
   Se conhecêssemos palavras que trouxessem conforto, nós diríamos, apressados, para confortá-los. Mas, infelizmente, palavra nenhuma tem esse poder.

   O tempo tem a capacidade de, aos poucos, ir amenizando alguns desses sentimentos, mas só a fé e a certeza de que só quem alcançará o caminho certo, rumo à luz, rumo ao lugar frente a frente com o Senhor, após a nossa partida definitiva, será quem – aqui entre nós – tiver conquistado todo esse itinerário.

    Conquistará o seu novo caminho e bom lugar:

 Quem sempre só praticou boas ações;
 Quem sempre soube se impor, sem arrogância, sem humilhar ou ter inveja;
 Quem sempre, quando necessário, soube doar-se e doar para ajudar alguém;
 Quem sempre usou de consciência e bom senso para resolver qualquer impasse;
 Quem sempre prestou favor, sem pensar no seu retorno;
 Quem sempre deixou de se apropriar de algo alheio, mesmo estando a sua disposição.
 Quem sempre foi justo, complacente, fiel e soube perdoar;
 Quem sempre foi simples, humilde e soube fazer amigos;
 Quem sempre foi paciente, compreensivo e jamais discriminou alguém;
 Quem sempre foi leal, nunca falso ou dissimulado;
 Quem sempre, mesmo sem muito falar, mas com atitudes firmes, soube dar bons exemplos.

   Quem fez tudo isso como Macário fez, com muito louvor, sempre teve Deus no coração e, se ainda, com disciplina, ordem e lucidez desempenhou sublimes missões aqui entre nós, como a de filho, de irmão, de tio, de esposo, de pai, de sogro, de avô, de amigo e cidadão, ele, com certeza e merecidamente, alcançará o seu novo caminho que o conduzirá ao seu bom lugar, junto ao Senhor, com quem ele, além de tudo por ser também religioso tinha a sua aproximação.

   É exatamente esta fé, esta certeza que nos trarão alento, que nos trarão conforto!
   Apeguemo-nos a isto!
   Pelo tudo que nosso amigo foi e fez, nós o teremos sempre em nossos corações.
   A todos o abraço dos que fazem a roda de amigos da Farmácia Gentil e o meu abraço muito fraterno.
Hélder Macário de Brito
Crato, 14 de dezembro de 2011.

Um dos Netos dos Irmãos Anicetos-Wilson Bernardo.

Para minha amiga e muitas saudades Edilma Rocha...
A magia dos Pifanos anicetianos...
Wilson Bernardo-Fotografia

domingo, 25 de dezembro de 2011

MAIS FUNDO




Eu queria olhar nos seus olhos e contar reflexos, mais fundo, mais fundo.

Eu queria te encontrar um dia desses e assistir você ensaiar um discurso qualquer para uma pessoa que eu desejaria que fosse eu. Mais fundo, mais fundo.

Eu queria levar você para um outro lugar, para dentro de mim. Mais fundo, mais fundo.

Eu queria te dizer como eu realmente te vejo e contar coisas que você nem sonha imaginar. Mais fundo, mais fundo.

Eu queria flanar com você por caminhos que só você conhece, deixando você me mostrar o que há de bom nesse mundo insosso. Mais fundo, mais fundo.

Eu queria contar copos e sedas enquanto um filme qualquer passeia pela tela e nos leva para mais fundo, mais fundo.

Eu queria brincar dedos pelo seu pescoço e sentir sua pele protestar em silêncio. Mais fundo, mais fundo.

Eu queria mergulhar em você. Mais fundo, mais fundo...

Marielle Zum Bach(www.,utopiada.blogspot.com)
imagem: Internet
 *** Natal todo dia  ***

(Roupa Nova)



Um clima de sonho se espalha no ar
Pessoas se olham com brilho no olhar
A gente já sente chegando o Natal
É tempo de amor, todo mundo é igual

Os velhos amigos irão se abraçar
Os desconhecidos irão se falar
E quem for criança vai olhar pro céu
Fazendo pedido pro velho Noel

Se a gente é capaz de espalhar alegria
Se a gente é capaz de toda essa magia
Eu tenho certeza que a gente podia
Fazer com que fosse Natal todo dia

Se a gente é capaz de espalhar alegria
Se a gente é capaz de toda essa magia
Eu tenho certeza que a gente podia
Fazer com que fosse Natal todo dia

Um jeito mais manso de ser e falar
Mais calma, mais tempo pra gente se dar
Me diz porque só no Natal é assim
Que bom se ele nunca tivesse mais fim

Que o Natal comece no seu coração
Que seja pra todos, sem ter distinção
Um gesto, um sorriso, um abraço, o que for
O melhor presente é sempre o amor

Um Natal feliz e um 2012 espetacular!

 Este foi especial para os amigos





Abraço natalino,

Claude

O sangue dos pobres - Emerson Monteiro

Consta na relação dos fenômenos extraordinários atribuídos a São Benedito, o Mouro, santo católico de origem árabe, que, quando administrava a cozinha do Convento dos Capuchinhos onde morava, e após a ceia dos monges eremitas, ele sempre oferecia aos pobres que habitavam as comunidades próximas sopa por demais substanciosa. Famintos, saciariam a fome diante da boa vontade daquela refeição caritativa dos inícios de noite. O meio que religioso utilizava era reaproveitar as sobras que ficavam da preparação dos alimentos principais, restos de verdura, gorduras de carnes, caldos de fervuras, substâncias que de comum seriam jogadas fora.

Os noviços responsáveis pelas rotinas do estabelecimento, no entanto, nutriam pouca disposição de, além dos afazeres regulares, ainda pegarem as sobras para constituir a sopa dos necessitados, e dificultavam o trabalho que resultaria no sustento da longa fila andrajosa dos mendigos.

Com isso, aos seus modos humildes, São Benedito, repetia com insistência que eles, os auxiliares, indiferentes, derramavam o sangue dos pobres. Inúmeras vezes aconteciam os conselhos sem clara manifestação de produzirem os devidos frutos.

Até que, belo dia, o frade, utilizando a estopa de limpeza do balcão onde preparavam os pratos, nela recolheu os mantimentos que iriam a caminho da lixeira e, em seguida, com força, espremeu o tecido, às vistas de todos em volta, reafirmando o sempre dizia:

- Meus irmãos, vejam, na verdade, que o que fazem é derramar o sangue dos pobres – enquanto, na mesma hora, escorria sobre a bancada o mais puro e expressivo sangue humano, razão de espanto dos presentes, passando esta a ser uma das ocorrências analisadas com mérito quando da canonização do virtuoso santo.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Um Feliz Natal a todos os Leitores do Cariricaturas !

http://4.bp.blogspot.com/-0EgiskawHuI/TvYz2di2Z8I/AAAAAAAAcrU/b2BIMT634FI/s1600/Feliz_Natal4.jpg

Hoje, uma noite da cristandade, cuja tradição já perdura por mais de 2000 anos. É tempo de renovar alianças, de buscar viver a melhor das vidas, a vida do entendimento, da compaixão e do perdão; A vida que nos leva a amar e respeitar o próximo como a nós mesmos, seguindo os ensinamentos do nosso mestre Jesus. Tempo de pensar na nossa jornada, naquilo que fizemos e no que pretendemos realizar. É sobretudo, tempo de amor. Amor em todas as suas formas. O amor que nos leva sempre a trilhar o caminho certo e a buscar a plena realização dos nossos sonhos. É tempo de Felicidade!

O Blog do Crato deseja a todos os leitores do Blog Cariricaturas, escritores e colaboradores um Feliz Natal, e um Ano Novo de muita Saúde, Paz, Alegrias e Sucesso!

Dihelson Mendonça
Em nome de todos os que fazem parte dessa imensa família Cratense.

www.blogdocrato.com
Há 7 Anos, o Crato na Internet

A Missa do Galo em Juazeiro há 140 anos -- por Renato Casimito

No dia de hoje, há exatos 140 anos, o reverendíssimo Pe. Cícero Romão Baptista, recentemente ordenado (Fortaleza: 30.11.1870), atendia o convite do casal Semeão Correia de Macedo (ela, Rosa Amélia de Macedo), segundo professor régio do povoado, para a celebração da missa da vigília natalina. Naquele ano, a capela do povoado não dispunha de capelão fixo, pois o Pe. Pedro Ferreira de Melo – o quinto capelão do Joaseiro, havia falecido recentemente (fora encontrado morto, sozinho, na casa em que residia, no Crato).
O prof. Semeão, então, motivado pelo desejo de que os poucos habitantes do povoado (eram, talvez, umas 30 famílias) comemorassem o Natal daquele ano, foi ao Crato para convidar o novo sacerdote para a celebração. Ele aceitou e assim aconteceu. Como resultado da grande simpatia que passou a existir entre Pe. Cícero e os residentes do povoado, ele foi convidado a voltar outras oportunidades. Até que, definitivamente, passou a residir numa casa cedida pelos habitantes para acomodar a família, a partir de 11 de abril de 1872. E nunca mais o Joaseiro foi o mesmo.
(Ilustração do Almanaque Brasil (www.almanaquebrasil.com.br/index.php?...), fotos do Arquivo do Portal)
Professor Semeão Correia de Macedo e Rosa Amélia de Macedo

Feliz Natal a todos!

°_ ██_*。*. / \ .˛*.. .˛.*,.★* *★ 。*
˛. (´• ̮•)*˛°*/.♫.♫\*˛.*,}* ˛._Π_____. * ˛*
.°( . • . ) ˛°./• '♫ ' •\.˛*,.*./.______./~\ *. ˛*.。˛* ˛. *。
*(...'•'.. ) *˛╬╬╬╬╬˛* °.,.º|田田  |門|.╬╬╬╬ .
¯˜"*°•♥•°*"˜¯`´¯˜"*°•♥•°*"˜¯` ´¯˜"*°´¯˜"*°•♥•°*"˜¯`´¯˜"*°•

  A todos os que fazem o CARIRICATURAS  

Feliz Natal ! 
Feliz Navidad!! 
Merry Christmas! 
Joyeux Nöel!

Princesa Isabel: redentora ou santa? -- por Dom Antônio Augusto Dias Duarte (*)

Os passos que começaram a ser dados para a abertura do processo de beatificação da princesa Isabel na Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro estão perfeitamente sincronizados com as reais necessidades do nosso país, governado hoje pela segunda mulher brasileira.
Comecei a escrever esse artigo no dia 14 de novembro de 2011, sabendo que há 90 anos falecia, em Paris, a primeira mulher que governou o Brasil, a princesa Isabel Cristina Leopoldina Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança.

Era também uma segunda-feira, e no Castelo d’Eu, na Província da Normandia, em consequência de uma insuficiência cardíaca agravada por congestão pulmonar, a três vezes regente do Império brasileiro pronunciava o seu definitivo “sim” a Deus, aceitando a morte bem longe de sua amada pátria, o Brasil.

No seu testamento feito em Paris, no dia 10 de janeiro de 1920, encontram-se os seus três grandes amores. Assim se lê nesse documento revelador: “Quero morrer na religião Católica Apostólica Romana, no amor de Deus e no dos meus e de minha pátria”.

Inseparáveis no coração de mulher, de mãe e de regente, esses amores, vividos com fidelidade e heroísmo, constituíram o núcleo mais profundo de seu caráter feminino, sempre presente na presença régia dessa mulher – esposa, mãe, filha, irmã, cidadã – e, sobretudo, na sua função de uma governante incansável na consecução de uma causa que se arrastava lentamente no Império desde 1810: a libertação dos escravos pela via institucional, sem derramamento de sangue.

Conhecendo com mais detalhes a vida dessa regente do Império brasileiro e conversando com várias pessoas sobre a sua possível beatificação e canonização num futuro próximo, fico admirado com suas qualidades humanas e sua atuação política sempre inspirada pelos princípios do catolicismo, e, paralelamente, chama-me atenção o desconhecimento que há no nosso meio cultural e universitário sobre a personalidade dessa princesa brasileira.

Sabemos que sua atuação política, inspirada pelos ensinamentos evangélicos, não foi bem acolhida na corte e na sociedade da sua época, quando a economia brasileira dependia desse sistema escravagista tão indigno do ser humano. Sabemos que sua vida católica profunda e ao mesmo tempo muito prática incomodava, a tal ponto que comentários pejorativos – tal como acontece ainda hoje quando se é autenticamente católico – sobre sua “beatice” eram muito frequentes entre os políticos da sua época. Sabemos que as suas ações beneméritas e de caridade cristã não só a levaram a abraçar essa causa abolicionista, mas também a varrer a Capela Imperial de Glória (a Igreja do Outeiro) com as mulheres escravas e a viver com constância duas das inúmeras preocupações cristãs: rezar pelo Brasil e pela conversão dos ateus.

O que sobressai nesse saber histórico e nos permite falar e agir no sentido de abrir um processo canônico de beatificação dessa primeira mulher governante do Brasil é a sua fé firme, a sua fervorosa caridade e a sua inabalável esperança cristã, que a conduziram por um caminho muito característico das pessoas que respondem à chamada, presente no sacramento do Batismo, a santidade. O caminho da defesa da dignidade e dos autênticos direitos humanos, tão necessária para a construção de um país onde a justiça social e a paz entre os homens fortalecem as relações entre todas as classes sociais, não é apenas uma atitude política, mas é uma ação própria dos santos de todos os tempos e, principalmente, da nossa época moderna e pós-moderna.

A princesa Isabel, como católica, esposa, mãe e governante do Brasil, sabia muito bem que a fé, a esperança e a caridade cristãs não conduzem a um refúgio no interior das consciências ou não são para serem vividas somente entre as quatro paredes de uma igreja, mas comprometem os católicos na busca incansável de soluções para os grandes problemas sociais da época da história na qual vivem.
Foi por isso que a princesa Isabel mereceu a mais suma distinção da Igreja Católica, a Rosa de Ouro, conferida pelo Papa Leão XIII, em 28 de setembro de 1888, um prêmio que é análogo ao atual Prêmio Nobel da Paz, e até hoje foi a única personalidade brasileira a receber essa comenda, guardada no Museu de Arte Sacra do Rio de Janeiro.

Os passos que começaram a ser dados para a abertura do processo de beatificação da princesa Isabel na Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro estão perfeitamente sincronizados com as reais necessidades do nosso país, governado hoje pela segunda mulher brasileira. Ontem como hoje a promoção da vida dos mais marginalizados no Brasil, a defesa do “ventre livre”, onde as crianças podem desenvolver-se sem a entrada de máquinas aspiradoras e assassinas das suas vidas, a atenção social e econômica mais urgente com os “escravos do álcool, do crack, dos antivalores” que acabam com boa parte da juventude brasileira, a tolerância e o respeito pela pluralidade religiosa e a abertura ao diálogo sincero entre as diversas camadas sociais são prioridades que devem ser atendidas num esforço comum entre católicos, evangélicos, muçulmanos, judeus, seguidores das religiões africanas, enfim, por todos que têm amo r pelos seus entes queridos e pelo Brasil à semelhança da princesa Isabel.

Para que no Brasil se respire a verdadeira liberdade e haja realmente unidades pacificadoras no meio das cidades espalhadas, e não em comunidades cariocas dominadas pelo tráfico de drogas, urge ter homens e mulheres, como a princesa Isabel, o frei Galvão, a irmã Dulce, etc., que com suas vidas exemplares na fé, na esperança e na caridade, sejam testemunhas vivas da santidade, que não passou de moda, pois os santos continuam sendo os grandes conquistadores e construtores do mundo onde a humanidade pode habitar.

Vale a pena considerar com pausa e reflexão essa chamada feita no início do Terceiro Milênio pelo saudoso Papa João Paulo II para a hora em que estamos vivendo na Igreja.

“É hora de propor de novo a todos, com convicção, essa medida alta da vida cristã ordinária: toda a vida da comunidade eclesial e das famílias cristãs deve apontar nessa direção (…). Os caminhos da santidade são variados e apropriados à vocação de cada um” (cf. Carta Apostólica no início do Novo Milênio, beato João Paulo II, n. 31, 6.1.2001).
(*) Dom Antônio Augusto Dias Duarte
Bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro – RJ

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Nosso Natal Tem Brasil - DVD 4 Cantos - Bate o Sino

 Nem precisa falar, basta ver!



"Onde não está Jesus, há disputas e guerras, mas onde Ele está presente tudo é serenidade e paz" (Orígenes).

Os que fazem o blog Cariricaturas formulam
-- aos colaboradores e  leitores --,
os votos de um
Santo Natal, com as bênçãos
do Divino Infante e de sua
Virginal Mãe.
Desejamos a todos um
abençoado e próspero 2012!

TV Assembleia grava matéria sobre Seminário São José de Crato


   A TV Assembleia canal 30, com sede em Fortaleza, é um veículo de aproximação e interlocução entre o Poder Legislativo do Estado do Ceará e a sociedade. Por meio desta emissora de televisão o povo cearense dispõe de um instrumento de acompanhamento do trabalho dos deputados estaduais, além de usufruir de programas educativos e reportagens de resgate da história cearense.

   Atualmente a TV Assembleia está produzindo uma matéria sobre o Seminário São José de Crato, educandário construído pelo primeiro bispo do Ceará, dom Luiz Antônio dos Santos, e inaugurado em 7 de março de 1875. A equipe que grava a reportagem – sob o comando do jornalista Marcelo Fraga – entrevistou dias atrás o bispo emérito de Crato, dom Newton Holanda Gurgel, o historiador Armando Lopes Rafael e o memorialista Huberto Cabral. Foram gravadas, também, imagens do interior daquele educandário.

Ideia do Seminário partiu do Padre Cícero

    O bispo emérito de Crato, dom Newton Holanda Gurgel, ao gravar sua entrevista forneceu ainda valiosas fotos retiradas do Álbum do Seminário de Crato, obra editada em 1925, por ocasião dos 50 anos de fundação daquele educandário. Dom Newton fez importantíssimas revelações – muitas colhidas do Álbum citado – dentre elas a de que a ideia para construir um Seminário Católico em Crato partira do recém-ordenado Padre Cícero Romão Batista, no ano de 1871. A sugestão foi prontamente acatada por dom Luiz Antônio dos Santos.

      Consta no Álbum do Seminário de Crato que, durante a construção do vetusto prédio, “De dias em dias, vinha uma turma de homens dos sítios vizinhos, chefiada pelo patrão que mandava na frente, uma rês e os mantimentos necessários para os jornaleiros. O Revmo. Padre Cícero veio, certa vez, de Juazeiro, com uma multidão de pessoas, e, segundo informação segura, fez encher muitos metros de alicerce, em um só dia”.

Embrião do ensino universitário

   Por sua vez, Armando Lopes Rafael – durante sua entrevista – lembrou que em 1922  o primeiro bispo de Crato, Dom Quintino Rodrigues de Oliveira e Silva, tornou-se o pioneiro do ensino superior, no interior do Ceará. 

   Naquele ano, o bispo dotou  o Seminário São José do Curso Teológico. Este, subdividido em Curso de Filosofia, feito em dois anos, e Curso de Teologia, em quatro anos, proporcionava aos futuros sacerdotes  receber em  Crato a licenciatura plena. Dom Quintino plantou, assim, a semente germinativa da Faculdade de Filosofia do Crato (criada em 1959) a qual,  por sua vez, foi  o embrião da atual Universidade Regional do Cariri – URCA, criada em 1986.

Crato tem noite de festa com a inauguração das Praças Centrais - Por: Dihelson Mendonça


N
a noite de ontem ( 22 ) foi inaugurada a primeira etapa da reforma das praças centrais do Crato, em que o governador Cid Ferreira Gomes foi agraciado com o título de cidadão cratense pela câmara municipal. Foram firmados diversos convênios entre o Estado e o Município. A população se fez presente, lotando as dependências do teatro municipal Salviano Saraiva e logo em seguida, a praça Siqueira Campos. Mas nem precisamos falar muito, se uma imagem vale mais que 1000 palavras. Então, para todos os leitores do Blog do Crato, trago esta reportagem fotográfica que por hoje, quebra a nossa própria regra de só postar no máximo 4 ou 5 fotos, devido à importância do evento. Parabéns a todos os Cratenses que acreditaram neste projeto, que veio para beneficiar a nossa cidade, requalificando o centro.

Reportagem Fotográfica

Image1


Img_4786

A noite foi de Cid, recebendo aí o título de cidadão cratense das mãos do Pres. da Câmara Florisval Sobreira Coriolano.

Img_4847


Img_4864

Logo após a cerimônia no teatro, a comitiva percorreu o centro da cidade

Img_4934

A verdade é que o centro ficou muito mais bonito com a nova pavimentação:

Img_4921

No palco, além da presença da comitiva do governador, contou ainda com a presença do Dep. Sineval Roque, Secretário Camilo Santana e claro, o prefeito da cidade, Samuel Araripe e primeira dama, Mônica Araripe ( na foto abaixo ).

Img_4998


Img_4907

Enfim, depois de tantos transtornos, o centro do Crato está mais valorizado. Como sempre se diz, os transtornos são temporários, mas os benefícios são permanentes.

Img_4751

No início de 2012, as obras recomeçam, com a Praça da Sé e indo até a Quadra Bicentenário, seguindo este mesmo padrão. Na praça da Sé, haverá o retorno da fonte luminosa, cuja água "dançará" ao ritmo de música. Que chique... rs rs

Texto e Fotos: Dihelson Mendonça

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

FORTALEZA MAIS BONTIA NESTE NATAL - Por Edilma Rocha




Praça do Ferreira - Coral Infantil


Praça do Ferreira - Presépio


Praça do Ferreira


Praça do Ferreira


Arvore de Natal com redes


Abertura do Natal


Arvore durante o dia


Beira Mar


Praça Portugal

UM PASSEIO INUSITADO

Pedro Esmeraldo



No segundo quartel do século XX, ano de 1944, meu pai foi obrigado a ir ao Rio de Janeiro com a intenção de submeter-se a tratamento de olhos com grande perito na medicina relativa à vista.

Meu pai havia sofrido um conjunto de perturbações causadas por uma forte pancada traumática que afetou a parte mais delicada de sua esfera do globo ocular (deslocamento de retina).

Naquela época, a medicina não era tão evoluída como agora, por isso teve que enfrentar um sério tratamento com rigidez, visto que teve que se submeter a uma cirurgia complicada a fim de não perder a sua parte mais sensível da vista.

Seu médico era muito afamado no Rio de Janeiro. Era um cearense de grande projeção nacional, visto que esse médico era um expert do tratamento de vista de grande valor, já que meu pai recuperou quase total parte da visão, que era o seu grande anseio em permanecer com o trabalho até o último dia de sua vida.

Considero meu pai um grande baluarte da agricultura, foi arrojado em suas predileções. Não deixava acumular serviços, pois mesmo doente considerava-o herói na execução de suas tarefas.

Antes disso passou vários meses no Rio obedecendo todas as ordens médicas que lhe eram atribuídas pelo médico. Sofreu um período de sacrifício, concentrando todo o seu pensamento na sua vida agrícola, já que teve de viajar após o seu tratamento, de navio até Fortaleza e de trem até o Crato, percorrendo uma estrada de ferro poeirenta e de construção precária.

Ao chegar ao Crato o médico recomendou seis meses de grande repouso, sendo proibido de viajar em veículos que não tivessem posições de conforto exigidas pelo seu médico.

Ao chegar em Crato o meu pai submeteu-se a todos os conselhos médicos e por isso obteve sucesso em sua cirurgia.

Um dia, em pleno três de junho daquele ano teve início a moagem de cana no engenho distante de sua residência. No mesmo dia partiu a pé, às duas horas da madrugada com um amigo e dois filhos mais velhos. Este próprio que escreve e o mais novo Antonio Alcides. Ficava com a distância de doze quilômetros de sua residência e deslocou-se vagarosamente cumprindo as exigências médicas. Foi uma viagem de sacrifício e de bons momentos, visto que tivemos um dia maravilhoso pois saboreamos puro mel de engenho e o apetitoso caldo de cana.

Quando a noite chegou, impetuosamente extasiado da canseira, tivemos que fazer o mesmo percurso, já cansados e enfadados e com a fadiga dos trabalhos do dia.


Crato-CE, 20/12/2011


Autor: Pedro Esmeraldo

Histórias do Brasil Real, Brasil verdadeiro -- II

A luz do baile – por Monteiro Lobato


O juiz era honesto, se não por injunções da própria consciência, pela presença da Honestidade no trono. O político visava o bem publico, se não por determinismo de virtudes pessoais, pela influencia catalítica da virtude imperial.

As minorias espiravam, a oposição possibilitava-se: o chefe permanente das oposições estava no trono. A justiça era um fato: havia no trono um juiz supremo e incorruptível. O peculatário, defraudador, o político negocista, o juiz venal, o soldado covarde, o funcionário relapso, o mal cidadão enfim, e mau por força de pendores congeniais, passava, muitas vezes, a vida inteira sem incidir num só deslize. A natureza o propelia ao crime, ao abuso, à extorsão, à violência, à iniquidade – mas sofreava as rédeas aos maus instintos a simples presença da Equidade e da Justiça no trono.

Ignorávamos isso na monarquia.

Foi preciso que viesse a republica, e que alijasse do trono a Força Catalítica para patentear-se bem claro o curioso fenômeno.
A mesma gente, o mesmo juiz, o mesmo político, o mesmo soldado, o mesmo funcionário até 15 de novembro honesto, bem intencionado, bravo e cumpridor dos deveres, percebendo, na ausência do imperial freio, ordem de soltura, desaçamaram a alcateia dos maus instintos mantidos em quarentena. Daí, o contraste dia a dia mais frisante entre a vida nacional sob Pedro II e a vida nacional sob qualquer das boas intenções quadrienais que se revezam na curul republicana.

Pedro II era a luz do baile.
Muita harmonia, respeito ás damas, polidez de maneiras, joias d’arte sobre os consolos, dando o conjunto uma impressão genérica de apuradíssima cultura social.
Extingue-se a luz. As senhoras sentem-se logo apalpadas, trocam-se tabefes, ouvem-se palavreados de tarimba, desaparecem as joias..."
A seriedade nos negócios deixou de ser uma virtude, passando a ser considerada uma coisa do passado. O civismo desaparecera por completo. Os bons costumes haviam sido esquecidos. Alguma força misteriosa havia transformado um povo sério numa turba de pândegos? É claro que não. Só havia uma diferença: havíamos perdido o Imperador.

Histórias do Brasil Real, Brasil verdadeiro -- I

Nhá Chica, a mãe dos pobres

Imagine uma pacata cidade no interior de Minas Gerais onde uma casinha simples se destaca, apesar de muito pobre, pela grande quantidade de pessoas que dela entram e saem a todo o instante, ali se misturando ricos e pobres, doutores e até mesmo conselheiros do Imperador.

Um transeunte certamente se questionaria: “O que há de tão especial naquele local? O que atrai tanta gente?”  Ali vivia uma respeitável senhora, Francisca de Paula de Jesus, conhecida carinhosamente como “Nhá Chica”. Era analfabeta, mas possuidora de sabedoria e virtude surpreendentes. Filha de escrava, Francisca nasceu em 1808, num pequeno povoado do município de São João Del Rei. Ainda criança, mudou-se para a cidade de Baependi, próxima a Caxambu, onde aos 10 anos de idade ficou órfã.


Seguindo o conselho que sua genitora lhe dera no leito de morte, tomou Nossa Senhora da Conceição por mãe adotiva, confiando-se inteiramente à sua proteção.

A juventude de Francisca transcorreu-se na solidão, com todo o tempo livre dedicado à oração e à prática da caridade. Apesar de alta, morena e bonita, e de ter recebido várias propostas de casamento, permaneceu solteira, afirmando que queria dedicar-se inteiramente à fé e ao serviço dos irmãos.
Dava e recebia esmolas, tratando as pessoas com bondade e respeito. Por isso, em pouco tempo, ficou conhecida como “a mãe dos pobres”. Àqueles que a questionavam sobre a origem de sua reconhecida sabedoria, Nhá Chica respondia com serenidade: “É porque eu rezo com fé. Eu rezo e peço a Nossa Senhora, que me ouve e me responde”.

Ninguém ia embora de sua humilde morada sem receber uma esmola, uma promessa de oração ou ao menos um conselho, conforme a necessidade. Mas a vocação visível de Nhá Chica é que consumiu grande parte de sua existência terrena: atender “um pedido da Virgem” de construir uma capela em honra a Nossa Senhora da Conceição. Como era pobre, para realizar seu intento, percorria a vizinhança pedindo auxílio para as obras. A notícia espalhou-se e, aos poucos, as esmolas foram chegando de todas as partes.

Após muito esforço, alcançou seu objetivo e a pequenina mas vistosa capela tornou-se um lugar de peregrinação, onde os fiéis habitualmente se reuniam para rezar e celebrar o dia da Imaculada Conceição. Sem demora, o povo passou a chamá-la de “Igrejinha de Nhá Chica”.
Com a missão realizada, no dia 14 de junho de 1895, aos 87 anos de idade, Nhá Chica entregou sua alma ao Senhor. Seu velório estendeu-se por 4 dias, pois a multidão que se comprimia ao redor do corpo sentia dele exalar um agradável perfume de rosas.

Esse mesmo fenômeno repetiu-se, mais de 100 anos depois, por ocasião da exumação do corpo, em 18 de junho de 1998, na presença das autoridades eclesiásticas que se empenhavam em sua causa de beatificação. Ainda em vida, Nhá Chica era conhecida pelo povo como a “Santa de Baependi”. Em 1991 foi declarada Serva de Deus e, recentemente, em 14 de janeiro de 2011, o Papa Bento XVI assinou o decreto de reconhecimento de suas virtudes heróicas conferindo-lhe o título de Venerável.
nça das autoridades eclesiásticas que se empenhavam em sua causa de beatificação. Ainda em vida, Nhá Chica era conhecida pelo povo como a “Santa de Baependi”. Em 1991 foi declarada Serva de Deus e, recentemente, em 14 de janeiro de 2011, o Papa Bento XVI assinou o decreto de reconhecimento de suas virtudes heróicas conferindo-lhe o título de Venerável.
                                                                                                                                              

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

PAPAI NOEL VIROU TRABALHO - Por Edilma Rocha


Um grupo de senhores com mais de 67 anos, sob a orientação  do empresário Marcos Teles, enfrentam uma maratona de trabalho de mais de 60 dias durante os meses de Outubro, Novembro e Dezembro, todos os anos.
A turma é composta de aposentados que moram no Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Itália. Trabalharam no passado como taxistas, metalúrgicos, atores, empresários e hoje passando por uma rigorosa seleção que vai do peso, aparência e até o carinho com as crianças, se transformam em "Papais Noéis".
Enfrentam uma maratona de 10 horas diárias de conversas e fotos nos shoppings, escolas e até ceias em residências particulares. O cuidado para manter bem a aparência do "Bom Velhinho", vai desde o uso de cremes para manter uma barba macia  até um regime de engorda para manter a barriga natural.
A vida do personagem "Papai Noel" não é fácil, pois têm que suportar o calor do Nordeste num figurino de veludo e pelo branco. Mas tudo parece mágico quando recebem o amor e o carinho de crianças inocentes, que sussurram baixinho ao seu ouvido o pedido do presente de Natal.
Alguns guardam com carinho as cartinhas com relatos que muitas vezes o emocionam quando os pedidos são conflitos familiares, falta de alimentação e até moradia.
Um figurante que se acostumou com a representação desde criança, quando a mãe o vestia com a roupa vermelha e a barba postiça para entregar os presentes. Levou esta tradição para os seus filhos durante muitos anos e hoje é um "Papai Noel" profissional.


Fonte: Diário do Nordeste

KAHUNA- O GUARDIÃO DO SEGREDO


KAHUNA- O GUARDIÃO DO SEGREDO
[sugestão: comprar livro pela Internet livraria cultura]
(http://www.xamanismo.com.br/Teia/SubTeia1192456288It008)

A palavra Kahu significa guardião e Huna : segredo. o verdadeiro significado da palavra kahuna é: "Aquele que é um expert em sua profissão"
Os Kahunas eram especialistas em: agricultura, construção de cabanas e barcos, pesca, astronomia, religião, medicina, psicologia e outras áreas do conhecimento. o termo aplicado no que damos hoje o título de Ph.D.
Antes da colonização européia a antiga sociedade havaiana, isolada do resto do mundo, desenvolveu seus sistema religiosos, com uma profunda compreensão espiritual do indivíduo e do universo. O kapu ou tabus regravam a fechada sociedade havaiana, que possuía um profundo senso de família.
TIPOS DE KAHUNAS
Kahuna ha'i'olelo: Especializado em pregações itinerantes
Kahuna ho'oulu ai: Especializado em agricultura
Kahuna kalai: Especializado em gravuras e esculturas
Kahuna kali wa'a: Construtores de canoas
Kahuna kilokilo: Pregadores; interpretam presságios observados do céu.
Kahuna lapa'au: Especializados em medicina e cura
Kahuna pule: Pregadores, pastores, sacerdotes e oradores
Kahuna pale: Especializado em desfazer a magia praticada por um mago negro
Kahuna po'i uhane: mágicas. Místico especializado em atrair e letrado na ciência da mente, aprisionar espíritos.
Kahuna ki'i: Zelador de imagens (totens, estátuas, etc). Sua atribuição era de embalar, envernizar e armazenas as imagens. responsável pelo transporte durante as batalhas à frente do chefe em comando
Kahuna na'au ao: Erudito sacerdote, que instruía iniciados e noviços dentro do conhecimento e práticas.

ARTES PRATICADAS PELOS KAHUNAS

Ho'o-pio-pio: Uso de encantamentos para levar ou trazer a morte, bem como vários eventos mágicos.
Ho'o-una-una: Arte de afastar uma entidade demoníaca espiritual em missão de morte.
Poi-Uhane: Maestria em capturar espíritos.
One-one-ihonua: Maestria em preces especiais de serviço.
Nana-uli: Arte de fazer profecias do tempo.
Kili-kilo: Adivinhação
La'au lapa'au: Sacerdotes da saúde que trabalhavam com ervas. Curavam ossos quebrados e outros traumas instantâneamente ou em alguns dias, através de preces ou processos esotéricos.
Kuhi-kuhi puu-one: Mestre de obra. Instaladores e arquitetos dos heiau ou templos.
Makani: Sacerdote dos ventos, com poderes sonbre espíritos místicos.
Ho'o-noho-noho Eram condutores de espíritos de pessoas falecidas. ajudavam os espíritos a elevarem-se até a divindade.
Kahuna Haapu: Médico
Kahuna Haka: Diagnosticador
Haha paaoao: Pediatra
La'au Kahea: Psicólogo

PRINCÍPIOS EM QUE OS KAHUNAS SE BASEAVAM

A palavra ALOHA é composta de alguns princípios:
A de ala - ver a vida de forma a estar sempre alerta
L de locahi - trabalhar com unidade (corpo,mente e espírito)
O de oiaio - Honestidade
H de ha'aha'a - Humildade
A de ahonui - Paciência e perseverança
Segundo os Kahunas, quando se aprende estes princípios se encontra com Deus.
MANA
Os Kahunas acreditavam que o mana é recebido do céu através da prece. Deve-se rezar constantemente e enviar estas preces para o seu Aumakua , o espírito guardião antepassado. O Aumakua vivendo no Céu, olha por sua criança da Terra e intercede através do seu divino poder espiritual.

DUALIDADE

para os havaianos existem duas grandes forças, a alta (boa, elevada em direção a evolução) e a baixa (baixa vibração, negativa e involutiva). Os termos aqui descritos como negativos ou positivos, está sendo usado sem definir boa ou má e simplesmente como polaridades.
O mundo material é considerado parte negativa. o mundo espiritual é considerado parte positiva. A lei do amor de deus á manifestação da unidade e da harmonia. Quando trouxemos a parte positiva, ou seja, unidade e harmonia, para a parte negativa, que é o mundo material, nós obteremos a verdade. O desejo pessoal é negativo e as leis de Deus são positivas. Quando soubermos unir o desejo pessoal e o amor juntos, aí se fará a luz! Deus nos iluminará e nós desfrutaremos a verdadeira felicidade.

POLARIDADE

Toda a vida é a união das polaridades, positiva e negativa, mas existem dois tipos de forças telúricas ou forças negativas. A polaridade negativa ou telúrica elevada que é representada pelas forças da natureza, trabalha em harmonia e em benefício da humanidade. A polaridade negativa baixa é a força telúrica de destruição e do egoísmo.
Um Kahuna deve conseguir aprender a distinguir entre alta e baixa. Ele deve aprender a controlar a baixa telúrica. Não deve voltar atrás em seu caminho, deixar-se envolver, senão estará abrindo as suas defesas para o ataque da ignorância. Caso isto ocorra ele não escapará dos baixos impulsos ficando doente pelas baixas influências.
-----------------------------------------

A PSICO-FILOSOFIA HUNA

Jens Federico Weskott
(http://www.stum.com.br/c.asp?i=8655&s=1)

A Psico-filosofia Huna é uma ciência que integra os três níveis de consciência. Torna a pessoa capaz de enviar energia mana do subconsciente ao Superconsciente. Pode efetuar pedidos visando realizações materiais e espirituais. Essa antiga sabedoria era e é praticada pelos kahunas, os mestres espirituais e xamãs curadores do Havaí.
Redescoberto pelo psicólogo americano Max Freedom Long, foi chamada Huna = segredo. Os relatos de Long sobre as realizações ‘mágicas’ dos kahunas revelam uma tradição ancestral. Novos autores desvendaram a ciência ali oculta.
Hoje, o ‘Sistema de Conhecimento Huna’ é um saber com três elementos diferentes: é, ao mesmo tempo, um sistema científico, uma visão de mundo e um método prático baseado em uma filosofia de vida ética.



------------------------------------------------

KAHUNA HEALING E HO’OPONOPONO
(http://www.portalcosmico.com.br/portal.asp?page=kh)

O Método de Cura Espiritual das Ilhas Polinésias , conhecido como HUNA, significa "segredo" e existe há mais de 5000 anos. É um sofisticado sistema de manipulação de energia com ênfase na conectividade da espiritualidade cósmica do Ser Humano com a Terra, seu corpo e suas emoções. Integra mente, corpo e espírito em ações e materializações para a felicidade pessoal e de nossa "teia-de-vida". Nos ensina a celebrar a vida no plano físico e a ver a espiritualidade em todas as coisas, nas materializações.

Acredita que a chave para viver uma vida integral esta em despertar e integrar nosso Eu Inferior ( Subconsciente ), com o Médio (Consciente ) e o Superior ( Espiritual Ou Superconsciente ). Através dessa integração, Huna esta centrada no Amor e enxerga o Ser Humano, a Natureza e o Divino como partes harmoniosas de uma mesma comunidade cósmica.

Huna nos fornece um conjunto de práticas shamanicas simples mas, profundamente transformacionais, que nos abre e amplia o mundo espiritual.
Historicamente o KAHUNA é o Mestre Espiritual Guardião do conhecimento HUNA e da Tradição. Quando os ingleses se instalaram nas ilhas havaianas a prática HUNA foi proibida e o KAHUNAS tiveram que trabalhar na clandestinidade. Assim, a Sabedoria Espiritual HUNA ficou oculta por muitos anos. Hoje, nessa nova idade do Planeta, a prática HUNA uma vez mais emerge – através de muitos poucos eleitos - para nos ajudar a CURAR a NÓS e ao todo de forma abrangente e total.

Como brilhantemente cita Max Freedom Long:

“Se você não está utilizando o método HUNA, você está trabalhando com um esforço muito maior do que precisaria!”

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

CRATO VAI TER INTERNET GRÁTIS NAS PRAÇAS



Administração Samuel Araripe vai instalar internet grátis nas praças, para a população.

Logo que as obras de reforma das praças da Sé, Siqueira Campos, Juarez Távora e Alexandre Arraes forem concluídas, a Prefeitura do Crato vai instalar a Zona de Internet Grátis - ZIG. A iniciativa tem por base a resolução da Organização das Nações Unidas – ONU, em que a informação deve ser democratizada da melhor forma possível por se tratar de um direito da humanidade. O vereador George Macário de Brito, do PV, autor do projeto da ZIG, informou que a determinação da ONU é fazer com que os governos abram o sinal da Rede Mundial para que todos tenham acesso, gratuitamente, a exemplo do sinal aberto de televisão.

A ZIG funcionará através de sinal transmitido de uma antena, possibilitando ao usuário abrir seu computador na praça e usá-lo da forma que quiser e o tempo que quiser, sem pagar absolutamente nada por isso, e sem ser preciso a utilização de operadoras numa velocidade compatível. O serviço, que será mantido com recursos da prefeitura, ficará disponível 24 horas e acessível a estudantes, pesquisadores e a todas as pessoas de todas as classes sociais.

George explicou também que a idéia é levar a ZIG para outras praças fora do centro da cidade e bairros periféricos. De acordo com o projeto de lei, que já foi aprovado por unanimidade na Câmara Municipal, os gestores públicos municipais subseqüentes ficarão obrigados a garantir a operacionalidade do sistema e que não funcione apenas enquanto durar a administração do prefeito Samuel Araripe.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal do Crato.



Uma cena que será cada vez mais comum, qualquer pessoa poderá acessar a internet nas Praças do Crato. A administração Samuel Araripe estará disponibilizando Internet Grátis para a população logo após a reforma das Praças Centrais. Assim, a população poderá acessar internet no centro da cidade usando seu próprio telefone celular, notebook ou qualquer aparelho de acesso à internet. O objetivo é democratizar a Informação e as comunicações, já que a internet é uma ferramenta poderosíssima que tem inúmeras utilidades, desde o envio de mensagens por e-mails, pagamento de contas e transferências financeiras em bancos virtuais, documentos, Notas Fiscais eletrônicas, consultas a bancos de dados, acesso às redes sociais, pesquisas, educação e entretenimento. A internet está em tudo que se faz. Crato dá um grande e pioneiro passo rumo à moderniade, somente disponível nas melhores cidades do planeta. Com o centro da cidade requalificado, nessa imensa reforma que é projeto da Prefeitura, com execução do Governo do Estado com recursos do Banco Mundial, a cidade ganha uma aparência de primeiro mundo, inclusive com nova arborização. Parabéns ao prefeito Samuel Araripe e ao vereador George Macário por mais esta iniciativa que vem contribuir para consolidar o Crato como uma cidade que ruma para o progresso e a qualidade de vida dos seus habitantes.

Dihelson Mendonça

Duas notas para esta 3ª feira -- por Armando Lopes Rafael

1 -- El Cid vem a Crato




Consta que a Imperatriz Catarina II (1729-1796) resolveu fazer uma viagem ao interior da Rússia. À frente dela foi um emissário da corte que ia construindo paisagens ao longo do caminho que a Senhora de Todas a Rússias iria passar. Casas novas foram edificadas; camponeses ganharam novas roupas; Caminhos foram limpos... E foi isso o que Catarina viu.
Lembrei-me desse fato ao passar em frente ao feio e inacabado prédio do futuro Centro de Convenções do Cariri (já conhecido como “cuscuzão”) localizado à margem da rodovia Padre Cícero. O governador Cid vem 5ª feira, dia 22, a Crato. Pois não é que já estão limpando o mato e os entulhos que proliferavam em frente ao Centro de Convenções... Cid, que vem inaugurar as reformas de duas praças e dos serviços de requalificação urbana de uma rua no centro de Crato, vai ver tudo limpinho. E, de quebra, será agraciado com o título de Cidadão Cratense, iniciativa da Câmara de Vereadores. Ufa! A partir de agora não será só o governador de Pernambuco – o simpático e competente Eduardo Campos – a ostentar este título honorífico. Ave Crato, os césares te saúdam!


2 -- Coreia do Norte: de pai para filho desde 1955




Pois é. Anterior (em quatro anos) à instituição da dinastia dos Castro em Cuba (esta no poder desde 1959) outro país comunista, a República Popular e Democrática da Coreia (sic), – coincidentemente governada pelo Partido dos Trabalhadores da Coreia – tem outra dinastia “imperial” que a dirige há 57 anos. O primeiro membro dessa dinastia, – Kim il Sung – foi o dono do país desde a Guerra com a Coreia do Sul até 1994. O filho deste – Kim Jong-il – assumiu no lugar do pai em 1994 foi dono da Coreia do Norte até o último sábado, dia 17, quando morreu. E, para perpetuar a linhagem, acaba de ser “escolhido” pelo Partido dos Trabalhadores da Coreia o jovem Kim Jong-un, neto e filho dos anteriores “Kim” citados.

Uma das características do comunismo é a insinceridade e a mentira. Pregam, os comunistas, que o poder deve ser exercido pela “classe trabalhadora”, como ensinou Marx-Engels. Mas quando se instalam no poder, este passa ser dirigido por clãs familiares. Como ocorre há mais de meio século em Cuba e na Coreia do Norte. Enquanto isso a “capitalista” e “decadente” Coreia do Sul – onde não há "dinastias", nem "ideologias", nem Partido dos Trabalhadores no poder – é 18 vezes mais rica que o país do Norte. Ora, os dois países têm a mesma topografia, relevo, sistema de chuvas, clima e língua. Qual a razão dessa diferença tão gritante entre as duas Coreias? O regime de governo que as dirige. O comunismo não permite a liberdade individual, cerceia a livre iniciativa e o resultado é a ineficiência burocrática generalizada em todos os setores; a decadência do setor produtivo; o setor industrial estagnado e deficitário.
Cuba e Coreia do Norte estão aí para provar!

Barry Manilow - Can't Take My Eyes Off You

Para uma terça musical...


ICC ELEGERÁ A NOVA DIRETORIA

Durante todo o dia 30 de dezembro de 2011, em sua sede à Praça Filemon Teles, em Crato, conforme convocação do seu atual presidente, Dr. Manoel Patrício de Aquino, o Instituto Cultural do Cariri permanecerá em Assembléia Geral Extraordinária para eleger sua nova Diretoria relativa ao biênio 2012/2013.

Podem votar e ser votados todos os ocupantes de cadeira do sodalício visando preenchimento dos cargos de Presidente, Vice-Presidente, Secretário-Geral e Tesoureiro, além dos componentes do Conselho Superior.

Desde 8 até 17h, acontecerá a coleta dos votos na composição dos dirigentes da principal instituição lítero-cultural de Crato.