Criadores & Criaturas



"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
"

(Carlos Drummond de Andrade)

ENVIE SUA FOTO E COLABORE COM O CARIRICATURAS



... Por do Sol em Serra Verde ...
Colaboração:Claude Bloc


FOTO DA SEMANA - CARIRICATURAS

Para participar, envie suas fotos para o e-mail:. e.
.....................
claude_bloc@hotmail.com

domingo, 4 de outubro de 2009

Flores Cantantes

video

Pérola Transparente

Tentaste tirar-me
até a Poesia -

o bem valioso
mais que o Vazio.

Falhaste por julgar meu mestre morto.

Precisou apenas inquietude minha
para que a ponte refeita
a margem cuidada
e o rio retornasse
ao seu curso natural.

A maçã é minha,
mordo-a como desejo -
prazerosamente,
dentadas barulhentas.

Não me digas que é pecado
saborear a carne da primavera
deixando rastros com os dentes.

Conquisto as benditas flores da planície
quando pisco no máximo três vezes -

as hastes curvam-se,
as pétalas voam.

Agradecimento às minha amigas: Claude e Socorro – Por Magali de Figueiredo Esmeraldo

Eu e Carlos estamos chegando agora de um final de semana em Guaramiranga, onde participamos de um Retiro para Casais, desligados do mundo, sem rádio, sem televisão e internet. Reabastecemos dessa forma nossa espiritualidade conjugal. Pouco antes de sairmos para o ônibus que nos conduziria ao local do encontro, vimos rapidamente a homenagem que vocês prestaram aos meus pais. Como o assunto já saiu da página, e, portanto sem oportunidade de colocar qualquer comentário, desejo agradecer essa delicadeza que muito me sensibilizou. Recebam o meu abraço.

Magali de Figueiredo Esmeraldo

Feliz Aniversário, PEIXOTO !

>
Hoje está aniversariando nosso amigo Peixoto que tanto embalou os nossos sonhos na juventude cantando e encantando nas festas de nosso tempo. E que tempo é esse? A vida inteira...
.
Hoje Peixoto mantém e cultiva as amizades com simplicidade e com a gentileza de um "gentleman".
.
A voz? Está ainda mais bonita e continua provocando as nossas boas lembranças e atiçando emoções.
.
O Cariricaturas o homenageia neste dia especial, dia de São Francisco.
.
O bolo faz parte da festa. Socorro o encomendou. Edilma já arrumou o espaço para a comemoração e eu para não deixar passar em branco dedico a Peixoto estes versos em retribuição à amizade e ao reencontro depois de tantas décadas.

A VOZ DE PEIXOTO

A voz de Peixoto é sussurro mágico impresso em nossa alma
É o motivo e o presente de um(a) poeta
na audição das noites silenciosas,
orquestrando-se na fala, nas estrelas,
nas cantigas de estar, nos dias calorosos,
nas lembranças que nos embalam e acarinham.

A voz de Peixoto
é o som que flagra um olhar e um sentir,
que expande e abrange de emoção
cada verso e cada estrofe da canção
que a gente debulha na memória,
é cada som da melodia a cingir
e avivar os sentimentos.

A voz de Peixoto traz de volta
emoção e coração,
e a melodia (na voz)
do hoje e do advir;
é o etéreo ao toque de um condão.


....... ( Claude Bloc ) .........


Parabéns Peixoto!
Receba o nosso abraço com a cara do Cariricaturas.

Dr. Luiz Teixeira Neto - Por Socorro Moreira


Luiz Teixeira Neto nasceu em Cedro-CE, 1944, e vive em Fortaleza-CE. É médico aposentado do Ministério da Saúde e exerçe a profissão liberalmente como diretor clínico da Vila Serena Fortaleza. Atende também em seu consultório privado como clínico geral, homeopata e especialista em dependência química. Apresentou vários trabalhos científicos sobre clínica médica e homeopatia em congressos e encontros médicos.

PUBLICOU os livros A dialética da doença (1983) e Bissextos (2008), além de monografia sobre dependência química (UECE, 2004), poemas em livros da SOBRAMES [Sociedade Brasileira de Médicos Escritores) e artigos, poemas e contos em revistas e jornais.


Carlos D’Alge escreveu :

Em 1995, a Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – Ceará publicou o seu décimo livro reunindo a produção literária dos seus associados.
Para assinalar essa ocorrência, a Sociedade edita a Antologia Até Agora 1983 – 1996, que será apresentada por ocasião do XVI Congresso Nacional da SOBRAMES.
A Antologia inclui 25 poetas e 22 prosadores, números expressivos que comprovam o traço humanístico desses médicos que, entre os hospitais, as clínicas e o Curso de Medicina, ainda encontram vagas para a literatura.
Vejamos os poetas. São 67 composições, numa média de três por autor. Todos eles figuraram nas antologias da SOBRAMES – CE. Entre eles, há um desaparecido, Caetano Ximenes Aragão, cujo Romanceiro de Bárbara foi muito festejado pela crítica. Caetano era um humanista. Clínico Geral, possuía uma bem selecionada biblioteca. Coerente com as idéias da juventude, nos seus livros registrou preocupação com a justiça social. O médico Geraldo Bezerra oferece um dos poemas desta Antologia a Caetano:

“O poeta montou no seu sonho
E alegre, risonho
Voou para o além.”

Luís Teixeira Neto é o autor do poema mais longo, com o título “Poema sem nome, escrito em 1968”. Emanuel Carvalho de Melo dedica um dos seus poemas a John Lennon, cuja poesia e música embalaram o sonho de muitas gerações. Heládio Feitosa e José Rômulo Barbosa são autores de bem elaborados sonetos. Pedro Henrique Saraiva Leão, poeta, acadêmico, professor e presidente da SOBRAMES –CE, no estilo que já é conhecido, ironiza poeticamente ocorrências que assustam o mais comum dos mortais, como o câncer e o infarto:

“Não tenho medo do câncer
temo que canses de mim.
É preciso que eu esteja farto
quando o infarto chegar
que o carteiro tenha passado
que a festa tenha acabado.”




* Esse moço fez o curso ginasial, científico, e tiro de guerra, no Crato. Foi da Diretoria da UEC, ( Tesoureiro ou Secretário), no tempo que Hamilton Lima Barros era orador.

Por que recordo Luiz Teixeira ?

Porque era comum encontrá-lo no trem que partia pro interior. A gente descia em Ingazeiras, e ele prosseguia até o Cedro. Colega e amigo de um primo meu , que estudava lá em casa : Bartolomeu Montoril.

Vinte anos depois encontrei-o em Fortaleza já médico, já casado, ainda poeta !


Acho que um dos nossos compromissos é resgatar as velhas amizades. Descobrir o paradeiro dos amigos, que no passado foram importantes, e nunca deixaram de existir, na lembrança.


Às vezes tenho a impressão de que vivo planejando uma excursão..Uma viagem espacial. Enquanto existirem cadeiras vazias ( são muitas , ainda) eu não descanso !




Socorro Moreira

Gota D'água - Por Vera Barbosa



Quero falar sobre emoções. Das minhas, particularmente, mas também das que nos são comuns, já que cada um de nós é mais um ser humano no meio de tanta gente. Evidentemente, em algum post, o leitor se identificará com fatos e sensações e poderá comentar, inclusive, as entrelinhas.

Falar de sentimentos, hoje, torna inevitável falar do airbus que ia do Rio de Janeiro para Paris e desapareceu no domingo. As autoridades apuram os fatos, a fim de tentar explicar as causas e localizar os destroços e, principalmente, as vítimas ou sobreviventes. É uma tarefa difícil, e a espera tem sido angustiante para todos. Perto do sentimento e da dor que acometem familiares e amigos das vítimas do vôo AF 447, qualquer fato pode parecer irrelevante. Contudo, a violência cotidiana é um problema que me deixa atônita. Minhas condolências às famílias das 228 pessoas que estavam no avião e meu pedido de licença para falar sobre esse assunto.

Todos os dias, ao abrirmos os jornais ou ligarmos a televisão, o rádio ou o computador, nos deparamos com notícias sobre assaltos, sequestros relâmpagos, assassinatos, tiroteios e balas perdidas. E, por mais que nos choquemos, agimos com certa indiferença, já que o problema não é nosso. Será que não? Ainda que indiretamente, somos responsáveis pelo processo que desencadeia essa bola de neve. As causas são de naturezas diversas (educacional, cultural, socioeconômica, política etc.) e podem explicar, mas não justificam tanta barbárie. E parece que a gente só tem consciência do perigo quando ele bate à nossa porta...

Não pretendo encontrar soluções imediatistas nem culpados, apenas deixar a dúvida para que cada um reflita sobre até que ponto contribuimos para o que temos vivenciado e o que podemos fazer de concreto para ajudar a combater a violência, um caso sério de Segurança Pública e cidadania. As guerras nos morros, os assaltos nos faróis, os arrastões e tantos outros fatos nos deixam acuados. Vamos nos trancando nos condomínioos e nos protegendo com seguranças particulares e carros blindados, como se fóssemos inatingíveis.

Lavar as mãos não resolve nada, mas o medo nos paralisa. Diariamente, presenciamos atitudes agressivas, seja no ponto de ônibus, na fila do supermercado, no banco, no trânsito ou na escola. É guerra de torcidas de futebol, são os crimes passionais, os trotes violentos nas universidades; é quebra-quebra, vandalismo, irracionalidade e ausência de bom senso.

A falta de gentileza está por todos os lados, mais um reflexo do quanto o ser humano está individualista e agressivo. Por isso, cada vez mais, é importante estar em par com Deus. Embora esse texto não seja de cunho religioso, sabemos que a vida é rara e, quando menos se espera, um de nós pode ser o alvo numa situação dessas e, então, perceber como tudo é breve e quanto estamos vulneráveis todos os dias.

De tudo, fica a certeza de que "é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã", orar e vigiar, pois somos apenas uma gota d´água no meio do oceano e, apesar disso, especialmente únicos e insubstituíveis. Nada repõe a perda de um ente querido nem apaga a dor ou diminui a saudade de quem fica. E mesmo a justiça, quando feita, não alivia nosso sofrimento.

O fato é que o mundo precisa de gentileza e, se cada um fizer a sua parte, viveremos melhor. Delicadeza é pouco diante de tudo o que precisa ser feito, mas é um primeiro passo para se restabelecer a paz. E acabo voltando ao tema do segundo artigo, sobre ser e ter: sejamos menos fúteis e mais amáveis. Em vez de malhar e turbinar, compulsivamente, cuidemos melhor de nossas pobres almas e façamos mais pelo nosso próximo. Em vez de pedras, atiremos rosas e rimas. Sem pieguice nem lição de moral, apenas um pedido de socorro pela vida.

Vera Barbosa
Foto de Teresa Abath

e...

e ser somente emoção
ilha a milhas da razão

toda ciência do mundo
só servirá para arrancar-me
da cama montada de enfermidade
e levantar e ver a claridade da rua

o calor na pele dos muros
se junta ao brilho dos alfanjes

nos becos algaravia
numa dança com o rosto do regente
concentração de notas
que suas mãos espalham
desenho de música no espaço

o olhar do mouro sem granada
sua alma gravada no flamenco
as mil facetas do tempo
as mil facetas do tempo

(........................................)

na calçada em frente ao banco
o menino estremece
ao duro olhar
lançado contra o que seria
e ali mesmo se perdeu
como tudo o que se perde
no extravio do amor

por favor, que horas são?

Projeto "Água pra que te quero" ! - Nívia Uchôa


Convite : Atenção amigos e colaboradores do Cariricaturas ! Encontro nessa tarde de domingo , a partir das 17 h, na Praça da Sé.


Vamos esperar entre amigos, a lua cheia de Outubro.

Espero que possamos contar com a presença do amigo Peixoto, hoje aniversariando.
Até lá !

Socorro Moreira .


Claude, você estará conosco, em espírito ! ( sorrindo, sem saltitar )

Algo para compartilhar - Por : Telma Medeiros




Tudo muda... os povos, as cidades, os países. Todos sofrem modificações com o tempo, do mesmo modo que o tempo muda a configuração dos fatos.

O que aconteceu no passado influencia o que está acontecendo agora e o que fizer agora, irá determinar o futuro.

Há tempo para tudo...
Há tempo para fazer escolhas...
Há tempo de nascer...
E há tempo de morrer.
Há tempo de plantar e de colher...
Há tempo de doer e de curar...
Há tempo de destruir o que foi mal construído,
E há o tempo para reconstruir.

Se tudo for feito com amor e com espírito de cooperação no tempo da reconstrução, descobriremos que é por meio da participação mútua que encontraremos a abundância na realização pessoal e profissional.

Fazer pessoas felizes, dividir problemas e tarefas, deveria ser parte da vontade de todo ser humano.

A vida humana, qual ocorre com a natureza, passa por quadras variadas que se sucedem em ordem de grandeza, servindo uma de base à outra, indispensável à harmonia do conjunto.

Lutar é...
...viver, amar, aspirar, trabalhar, agir sem parar durante esse tempo, mais ou menos curto, que nos é permitido caminhar nesta Terra de passagem, onde cada um de nós tem uma missão a cumprir e onde devemos lutar para realizá-la dignamente.

A criatura humana é o mais grandioso investimento de Deus.

Ser otimista quanto ao futuro, mesmo que haja dificuldades no presente, é o mínimo que lhe cabe, na firmação da realidade e gratidão ao SENHOR.
Quem não possui capacidade para sustentar com princípios os embates malogrados, não tem condições para viver as grandes e decisórias batalhas.
Nos céus dos que amam e confiam com otimismo, sempre haverá andorinhas bailando, em prenúncio de gloriosas primaveras!

Telma Medeiros Loureiro
Campo Grande/MS

ORAÇÃO PARA O CORAÇÃO DOS MEUS AMIGOS

A TODOS OS MEUS AMIGOS DO CRATO, OFEREÇO ESTA ORAÇÃO NESTE DIA ABENÇOADO DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS.
Benditas sejam as dificuldades que nos agridem e fazem pensar.
Benditas sejam as horas que gastamos em função do bem eterno.
Bendito seja quem nos maltrata à primeira vista e nos ajuda a melhorar.
Bendito seja quem não nos conhece e não acredita em nós.
Bendito seja quem nos compara com vagabundos e indolentes.
Bendito seja quem nos expulsa, como párias ou fanáticos.
Bendito seja a mão que nos nega o cumprimento.
Bendito seja quem quer nos esquecer, impaciente.
Bendito seja quem nos nega o pão de cada dia.
Bendito seja quem nos ataca por ignorância e covardia.
Bendito seja quem nos experimenta no correr do tempo.
Bendito seja quem nos faz chorar nos caminhos.
Bendito seja quem não agrada no momento.
Bendito seja quem exige de nós a perfeição.
Benditos sejam os que nos maltratam o coração porque, verdadeiramente, são estes, meus filhos, os nosso vigilantes e os que nos ajudam a seguir o Cristo com maior segurança, pois Deus, através deles, nos ajuda na auto educação, de maneira que fiquem abertas todas as portas para o Amor Universal.

Dia de São Francisco de Assis



No dia 4 de outubro celebramos São Francisco de Assis, que nasceu na cidade de Assis, na Itália, em 1181 (ou 1182). Filho de um rico comerciante de tecidos, Francisco tirou todos os proveitos de sua condição social vivendo entre os amigos boêmios.

Tentou, como o pai, seguir a carreira de comerciante, mas a tentativa foi em vão.

Sonhou então, com as honras militares. Aos vinte anos alistou-se no exército de Gualtieri de Brienne que combatia pelo papa, mas em Spoleto teve um sonho revelador: Foi convidado a trabalhar para "o Patrão e não para o servo".

Suas revelações não parariam por aí. Em Assis, o santo dedicou-se ao serviço de doentes e pobres. Um dia do outono de 1205, enquanto rezava na igrejinha de São Damião, ouviu a imagem de Cristo lhe dizer: "Francisco, restaura minha casa decadente".

O chamado, ainda pouco claro para São Francisco, foi tomado no sentido literal e o santo vendeu as mercadorias da loja do pai para restaurar a igrejinha. Como resultado, o pai de São Francisco, indignado com o ocorrido, deserdou-o.
Com a renúncia definitiva aos bens materiais paternos, São Francisco deu início à sua vida religiosa, "unindo-se à Irmã Pobreza".

A Ordem dos Frades Menores teve início com a autorização do papa Inocêncio III e Francisco e onze companheiros tornaram-se pregadores itinerantes, levando Cristo ao povo com simplicidade e humildade.

O trabalho foi tão bem realizado que, por toda Itália, os irmãos chamavam o povo à fé e à penitência. A sede da Ordem, localizada na capela de Porciúncula de Santa Maria dos Anjos, próxima a Assis, estava superlotada de candidatos ao sacerdócio. Para suprir a necessidade do espaço, foi aberto outro convento em Bolonha.

Um fato interessante entre os pregadores itinerantes foi que poucos, dentre eles, tomaram as ordens sacras. São Francisco de Assis, por exemplo, nunca foi sacerdote.

Em 1212, São Francisco fundou com sua fiel amiga Santa Clara, a Ordem das Damas Pobres ou Clarissas. Já em 1217, o movimento franciscano começou a se desenvolver como uma ordem religiosa. E como já havia ocorrido anteriormente, o número de membros era tão grande que foi necessária a criação de províncias que se encaminharam por toda a Itália e para fora dela, chegando inclusive à Inglaterra.

Sua devoção a Deus não se resumiria em sacrifícios, mas também em dores e chagas. Enquanto pregava no Monte Alverne, nos Apeninos, em 1224, apareceram-lhe no corpo as cinco chagas de Cristo, no fenômeno denominado "estigmatização".

Os estigmas não só lhe apareceram no corpo, como foram sua grande fonte de fraqueza física e, dois anos após o fenômeno, São Francisco de Assis foi chamado ao Reino dos Céus.

Autor do Cântico do Irmão Sol, considerado um poeta e amante da natureza, São Francisco foi canonizado dois anos após sua morte.

Em 1939, o papa Pio XII tributou um reconhecimento oficial ao "mais italiano dos santos e mais santo dos italianos", proclamando-o padroeiro da Itália.

O Maverick do Dr.Heládio e o Martelinho de ouro.


Chega Dr. Heládio , nos anos 70, recém formado em Medicina , dentro de um fusca caindo aos pedaços.
Trocou o velhinho por um Mawerick novinho, o seu sonho consumado.
Mal familiarizado com o carrão, amassou-o por descuido,quem sabe na contra-mão.
Eita, tristeza danada... Amigos se apiedaram !
-Heládio, esse carro é importado, vai demorar um bocado,chegar à solução no Crato.
Mas na roda de impressões, um deles , arriscou a solução:
-Só tem um cabra no Crato, que pode deixar seu carro, do jeito que saiu da fábrica.
Procure o Moreirinha, e ajeite logo essa cara.
E lá se foi o doutor , na oficina do pintor.
Moreirinha estava lá... Óculos na ponta do nariz, cigarro no bico, e uma brama gelada, tomada pela metade.
Examinou as avarias , e disse para o amigo:
Fique frio, meu doutor,esse defeito tem jeito.
Entregou o orçamento com um aviso certeiro: não me apresse por uns dias , só volte nessa oficina, quando eu fizer um sinal,e acabar o serviço.
Passaram-se dez dias...Chegou o dia !
Dr Heládio feliz , aprovou o resultado .Entendeu que resgatara , o seu sonho mais dourado .
O carro estava intacto, sem um sinal da trombada.
Quis agradar os operários, ajudantes do meu pai... Distribuiu umas notas, e todos as recusaram .
- Moreirinha logo disse : aqui ninguém recebe gratificação em grana . Se quiser nos agradar ,melhor trazer umas bramas.
Ele comprou uma grade de cerveja, e todos comemoraram !
.
*Episódio contado por Dr. Heládio Teles Duarte, e reproduzido por mim ( Socorro Moreira ) .

Invocação - Por : Ana Cecília S.Bastos


Que fazer do poema,

que se esconde, impreciso,

paciente enigma

que nem busco ?



Que fazer, se me acompanha,

irreverente ou sombrio,

canção de morte ou desejo?



Invocá-lo, preciso.

Descrevê-lo.

Dar-lhe forma, luz e cor.

Devolvê-lo à realidade

que o seduz.



Ana Cecília

Pensamento para o Dia 04/10/2009


“Todos deveriam reconhecer a unidade do princípio do Atma que existe em todos os seres. A boa companhia (Satsang) é essencial para entender essa unidade. Boa companhia não quer dizer associação com pessoas boas, devotos ou aspirantes espirituais. As pessoas reúnem-se em tais congregações e acreditam que estão em boa companhia. Mas esse não é o verdadeiro sentido do termo Satsang, porque as pessoas que você pensa serem boas podem se tornar, um tempo depois, más. Elas estão destinadas a mudar. Como tal associação temporária pode conferir felicidade duradoura? ‘Sath’ é aquilo que é invariável em todos os três períodos de tempo: passado, presente e futuro. O termo refere-se ao princípio do Atma. Viver sempre na companhia de Deus é a verdadeira boa companhia.”
Sathya Sai Baba

Uma sugestão para seu domingo... Bom apetite!

Domingo!
Que tal uma sugestão para seu almoço?
.
Strogonoff de carne

Ingredientes

500 gramas de carne para bife bovina (filé ou alcatra) cortadas em tirinhas
2 dentes de alho bem socados com 1 colher (café) rasa de sal
1 pitada de pimenta do reino
4 tomates grandes maduros sem pele e semente picados
2 cebolas grandes picadas em rodelas
1 caixa de creme de leite; catchup, mostarda a gosto;

2 tabletes de caldo de carne ou picanha/150 gramas de cogumelo partidos ao meio ou fatiados;

Modo de Fazer
.
*Corte os bifes em tiras e tempere com o sal e o alho e deixe descansar por 1 hora para pegar o tempero.

*Enquanto isso, retire a pele dos tomates. Você pode fazer isso, deixando dentro de uma panela com água fervente.
*Ponha um pouco de óleo numa frigideira grande e frite a carne. Frite até ficar douradinha e reserve. Vá colocando a carne frita em uma panela grande.Se você quiser pode flambar a carne logo depois de fritar pondo conhaque (3 colheres de sopa) na carne, acenda um fósforo, e jogue dentro da frigideira.(Cuidado para não provocar um incêndio em sua casa).

*Em outra panela doure a cebola e acrescente o tomate sem pele e sem semente picado. Refogue um pouco e coloque um copo de água e deixe ferver por uns 5 minutos. Deixe esfriar um pouco e coloque esse molho no liquidificador e bata até ficar homogêneo.

*Acrescente os cogumelos na carne e pode despejar o molho. Aqueça. Ponha o catchup e a mostarda, os caldos de galinha ou carne. Deixe ferver. Ponha o creme de leite e mexa sem parar até levantar fervura. Prove e acerte o sal. Não pode parar de mexer pois talha. Caso fique um pouco ralo é só deixar ferver mais um pouco para engrossar, até ficar no ponto desejado.
Pode ser servido com arroz branco e batata palha.

Dica: Se o caldo além de ferver, ainda ficar muito ralo, ponha 1 colher de sopa de farinha de trigo dissolvido em um pouco de água peneirando e mexa rápido. Deixe ferver e estará no ponto.
.


Salada de Repolho com Abacaxi

Ingredientes

1 repolho médio
1 abacaxi
400 gr de uva passa sem caroço
1 vidro de maionese pequeno
1 xícara(s) (café) de suco de limão
sal, 1 cebola pequena;
azeite

Modo de Fazer

Pique o repolho bem fininho e corte o abacaxi em pedaços pequenos e escorra. Misture com todos os ingredientes restantes. Leve para gelar e sirva.
Dica: Para que a maionese fique bem gostosa, pique uma cebola* bem fininha, ponha cebolinha, salsa, os temperos de sua preferência e misture à maionese antes de misturar nas batatas e deixe pegar o gosto.

Nesta salada deve-se usar só uma cebola bem pequena pois o abacaxi é o mais importante da salada e não a cebola. Abacaxi não combina com gosto de cebola.


Salada Caprese

Ingredientes:

4 tomates médios
4 mussarelas de búfala ( cerca de 200g)
Manjericão fresco
Cubos de torradas (*)
azeitonas
Sal/Shoyu
Azeite
Limão
Orégano

Modo de Preparo

Corte o tomate em fatias e disponha num prato formando um círculo.
Corte a mussarela em rodelas e arranje sobre o tomate . Coloque cubos pequenos de torradas, folhas de manjericão, coloque as azeitonas, e depois tempere com orégano, sal/shoyu, limão e bastante azeite.

* Corte o pão de forma em cubos pequenos e simétricos e ponha para assar até dourar. Fica uma delícia na salada.
.

Bom domingo, amigos!

Cheguei de Teresina há pouco. Horário ingrato: madrugada de domingo. Tentei conciliar o sono, mas essas noites quebradas pelo meio e recheadas dos estresses que as viagens muitas vezes provocam, dificultam essa acolhida que a cama proporciona. Deitei, virei pra lá, virei pra cá e nada de achar "canto". O cansaço em vez de facilitar me trazia a sensação de agitação e nada de conseguir dormir.
..
Resolvi vir aqui e preparar um café para os amigos do Cariricaturas, visto que o domingo é um dia preguiçoso e assim, eu os pouparia deste trabalho.
..
Para ilustrar, uma pitada de bom humor no poema de de Mário Quintana:
.
O café é tão grave,
tão exclusivista,
tão definitivo,
que não admite acompanhamento sólido.
Mas eu o driblo, saboreando, junto com ele,
o cheiro das torradas-na-manteiga que alguém pediu na mesa próxima
.
.
(Mario Quintana)

.Portanto, sentem-se à nossa mesa e sirvam-se, amigos. Um bom domingo recheado das alegrias que vocês merecem. Um bom e merecido descanso e que o este dia lhes traga uma semana de plenas realizações.

.Um abraço para aquecer a amizade.
Um bom café para alegrar a vida!.
Claude
.

Mário Reis - O Precursor da Bossa Nova -Por : Norma Hauer

Foi a 4 de outubro de 1981 que faleceu o cantor MÁRIO REIS, que seria o verdadeiro precursor da "bossa-nova", por seu modo diferente de cantar, em plenos anos 30.

MÁRIO REIS foi "descoberto" por Sinhô, que viu que ali "nascera" o cantor perfeito para interpretar suas músicas.
Em 1927 as gravações, antes mecânicas, passaram a ser elétricas, dando condições ao aparecimento de cantores diferentes de Vicente Celestino (o maior "vozeirão" desta terra) ou Francisco Alves (o "Rei da Voz"). Nas gravações mecânicas eram necessários os "dós de peito", caso contrário, as vozes não apareciam. As gravações elétricas apareceram como "milagrosas" e aí surgiu Mário Reis.

Seu primeiro disco, em 78 rotações, gravado em 1927 foi "Carinhos do Vovô".
Aquela vozinha,muito afinada, chamou atenção de Francisco Alves que lhe propôs um desafio: cantariam juntos. E não é que deu certo? Começaram com "Nem é Bom Falar" e "De que Vale a Nota sem o Carinho da Mulher", de Ismael Silva. Daí para o sucesso de uma dupla inusitada foi um passo.

Passando a se apresentar solo, Mário Reis gravou um samba que se tornou um dos clássicos do carnaval de todos os tempos: de Bidê (AlcebÍades Barcelos) e Marçal (Armando Marçal), "Agora é Cinza".

Você partiu, saudade me deixou...
Eu chorei.
O nosso amor foi uma chama
Que o sopro do passado desfaz.
Agora é cinza
Tudo acabado e nada mais."

Mário Reis abandonou as gravações durante vários anos, até que foi convidado para participar de um espetáculo teatral, a ter lugar no Theatro Municipal, de nome "JouJoux e Balagandans". Depois gravou um único LP com músicas que foram antigos sucessos seus e retirou-se definitivamente da vida artística residindo, até o fim de sua vida, no Copacabana Pálace. Ele era de família rica e nunca viveu de suas interpretações em palcos ou em discos.

Recordar Mário Reis na data de hoje, quando se completam 26 anos de seu falecimento, é fazer um passeio pelo passado da música popular brasileira,da qual ele
foi um importante baluarte.
Norma

Sputinik - Dia 4 de Outubro de 1957 - Por Norma Hauer

Lembro-me bem quando foi lançado o primeiro Sputinik e do ódio dos americanos que foram obrigados a aceitar a então União Soviética, como pioneira na corrida espacial. Outro ódio dos americanos foram o lançamento do primeiro homem ao espaço (Iuri Gagarin) e da primeira mulher (Valentina). Além da cadela Laika, que foi o primeiro ser vivo a ser enviado ao espaço.
Mas essa foi uma vítima. .

Na ocasião, estava em moda o samba "Conceição", gravado por Caubi Peixoto. Assim, gozavam-se os americanos, que vinham anunciando seu primeiro satélite (o "Pioner"), como um grande feito. Assim, o "Pioner" foi como a "Conceição":"se subiu, ninguém sabe, ninguém viu".

Algum tempo depois, os brasileiros sempre aproveitando algo atual, para fazer “gozação” fizeram um filme com o nome de “O Homem do Sputinic”, com Oscarito.
Por coincidência estava na agência da Caixa Econômica da Praça da Bandeira quando filmaram a parte em que o homem do Sputinic (Carlitos) tentava “empenhar” o “objeto“ encontrado em seu quintal .

Norma

Emilinha Borba - Por Norma Hauer

EMILINHA BORBA, nascida a 31 de agosto, sob o signo de Virgem, faleceu a 3 de outubro de 2005.

ASSIM SE PASSARAM 4 ANOS...
Antes foram 10, mais 10, mais 10... Viver seu tempo, foi viver a mais bonita e alegre fase de nossa musica popular e de nosso rádio.

ESTA CANÇÃO
NASCEU PRÁ QUEM QUISER CANTAR
CANTA VOCÊ,CANTAMOS NÓS ATÉ CANSAR..
É SÓ BATER...
E DECORAR...
PARA RECORDAR
VOU REPETIR O SEU REFRÃO
PREPARE A MÃO...
BATA OUTRA VEZ ...
ESTE PROGRAMA PERTENCE A VOCÊS...

É a Rádio Nacional.
É o Programa César de Alencar que vai começar; as filas já têm início na Praça Mauá para que se tenha um lugar naquele auditório onde o frenesi toma conta de todos seja o "povão", sejam de todas as camadas sociais, sejam os que querem se divertir ouvindo as bonitas interpretações da "Favorita da Marinha, a eterna Rainha do Rádio, a querida EMILINHA BORBA. Ah, como era bom o rádio em sua fase de ouro!...
E o carnaval ?
"Chiquita bacana, lá da Martinica,
Se veste com uma casca de banana nanica..."

Tomara que chova, três dias sem parar..."

E lá se vai Emilinha Borba e seu séqüito de fãs sinceras, acompanhando-a em qualquer parte onde se apresenta.

"Uma vez lá em Cuba, dançando uma rumba,
Disseram que eu era...Escandalosa!"

É um carnaval que não volta mais;começava nos cassinos e foi em um cassino que
Emilinha desabrochou para o canto.
Daí se ia para o High Life, o inocente High Life, que era "proibido para menores". Emilinha, entretanto era quase uma menina, mas já prometia ser um ícone de Virgem, seu signo de nascimento. Talvez isso a tenha tornado um ídolo popular. Em seu primeiro disco seu nome nem sequer consta da etiqueta. Cantou com Nilton Paz:

"Ioiô dá o braço p'ra Iaiá,
Iaiá dá o braço p'ra Ioiô.
O tempo de criança já passou, oi,
Pirulito que bate bate,
Pirulito que já bateu...
Quem gosta de mim é ela,
Quem gosta dela sou eu. 23:18 (1½ horas atrás) Norma
3 DE OUTUBRO - EMILINHA BORBA -2-
E aquela voz feminina, quase infantil, que "dialogava" com Ioiô. De quem era?
Era de Emilinha Borba!

Passou a ser a "Favorita da Marinha", tendo como seus fãs marinheiros e fuzileiros navais; mas também as "meninas", que os invejosos denominavam "macacas de auditório", não a abandonavam.
Para elas, que todos os sábados se acontovelavam para ingressar na Rádio Nacional, Emilinha era a única. Do outro lado, Marlene era sua rival. Isso dentre suas fãs, porque as duas eram amigas.
Quem não era fanático por uma, ou outra, apreciava ambas. Emilinha partiu antes, mas ambas são imortais, ambas marcaram nosso carnaval e também o então chamado "meio de ano", quando Emilinha cantava "Se queres Saber";"Dez Anos";"Cachito", alguns baiões...

"Paraíba masculina,
Mulher macho sim senhor..."

Nos últimos anos, sentindo que o povão deixava de ser personagem para ser espectador no Carnaval, passou a apresentar-se no tablado que a Prefeitura voltou a montar na Cinelândia (Cinelândia?) onde todos têm sua vez.
O de 2005 foi o derradeiro.

Da Cinelândia, da mesma Câmara dos Vereadores ela partiu a 3 de outubro de 2005, para a viagem sem volta, depois de venerada pela última vez antes de se tornar UMA
SAUDADE.

Norma

O Doutor do baião - Humberto Teixeira - Por : Norma Hauer

Foi a 3 de outubro de 1979 que Humberto Teixeira faleceu aqui no Rio de Janeiro. Segundo se soube, ele estava em seu apartamento na Barra quando passou mal; telefonou a sua irmã dizendo "estou tendo um enfarte". Quando ela chegou a sua casa já o encontrou sem vida.

HUMBERTO TEIXEIRA ficou conhecido como " o Doutor do Baião", tal a quantidade de músicas que compôs com Luiz Gonzaga. Este era uma pessoa modesta e que só tratava aquele que fez os versos de seus grandes sucessos, como Doutor Humberto.

Com Luiz Gonzaga, são os maiores sucessos de Humberto, como "Baião" (o primeiro); "Paraíba";"No Meu Pé de Serra"; "Qui nem Jiló"; "Baião de Dois";Mangaratiba";"Assum Preto" e, dentre inúmeros outros, o mais famoso"Asa Branca".

Foi de Humberto Teixeira o primeiro sucesso de Francisco Carlos :"Meu Brotinho", tão importante na carreira do cantor que ele ficou conhecido como El Broto".

Aqui quero deixar a letra de uma das primeiras composições de Humberto. É um
samba-sinfônico, gravado por Déo e o Coro dos Apiacás. Não fez o merecido sucesso, mas é muito bonito.

SINFONIA DO CAFÉ

Vem dos montes abexins ou do Yemen...
Das lendas de Omar ou do pastor...
Floresceu em terras várias e distantes,
Mas aqui, somente aqui, conheceu o esplendor!
Bonito de ver!
Que lindo de ver, que orgulho de olhar!
O homem bendiz
A terra onde brota a riqueza sem par!
E canta feliz,
Nos meses de abril,
fazendo a "derriça"
Colhendo os rubis do Café do Brasil!

Café que nasce até nas serras
Que viceja nas terras
Onde dão a copaíba e o jacarandá!
Café que fez a glória de Palheta,
O valoroso bandeirante que nos trouxe
De bem longe,
O ouro-verde para o Grão-Pará!
Café que todo mundo bebe!
Ó fonte de riquezas mil!
Café que fez famosa a Paulicéia
E espalhou aos quatro ventos
E através dos sete mares
A grandeza do nosso Brasil!
Do nosso Brasil!
Tive o privilégio de receber de Humberto a gravação dessa composição (em 78 rotações) assim que foi lançado. E ele ainda não era o "Doutor do Baião".


Ainda na voz de Déo, com o Coro dos Apiacás, foi gravado outro samba-sinfônico:"Terra da Luz", uma apologia ao Ceará, estado natal de Humberto Teixeira, em que lembrando os primeiros repúdios ao mercado de escravos, ele dizia que o Ceará não permitia que os navios negreiros se aproximassem da "Terra da Luz".

Humberto Teixeira foi deputado federal e, nessa condição, foi responsável pela "Lei Humberto Teixeira" que propunha o envio de grupos brasileiros aos Estados Unidos e à Europa para divulgar nossa música, antes pouco conhecidas no exterior.

Dalva de Oliveira, Jorge Goulart, Nora Nei, foram alguns dos cantores brasileiros que foram à Europa, cumprindo os dizeres da lei. Em Londres, com Roberto Inglês, Dalva lançou o baião "Kalu", somente de Humberto.

Para mim, uma das mais belas letras de exaltação à mulher é da valsa "Poema Imortal", de Humberto e Lauro Maia, gravado por Orlando Silva, que por coincidência "se encontrou" com Humberto na data de seu aniversário: 3 de outubro.

Norma

Orlando Silva - Por : Norma Hauer

Era o dia 3 de outubro de 1915, quando, em uma modesta casa do Cachambi, nasce aquele que seria um fenômeno em nossa música popular:ORLANDO GARCIA DA SILVA.

Quem viveu sua época sabe o que foi sua GLÓRIA; quem acompanhou sua carreira e lamentou alguns fatos negativos que ocorreram prejudicando-o como cantor, nunca deixou de adorá-lo. Ele deu "a volta por cima", mas teve sua carreira prejudicada. Isso porém não interessa, o que importa é lembrar as belezas que sua voz espalhou por todo este Brasil.

Fez uma primeira gravação na Colúmbia, com "Olha a Baiana" e "Chope da Brahma", quando do lançamento da Brahma Chope, em garrafa. Novidade na época.Mais de 70 anos antes de Zeca Pagodinho.
Sua primeira gravação na Victor veio cheia de belas poesias, com letras de Cândido das Neves:"Lágrimas" e "Última Estrofe".

Interessante foi sua apresentação de estréia na antiga Rádio Cajuti, ali levado por Francisco Alves. Como na ocasião(1934) havia um artista americano fazendo sucessos em filmes, de nome Ramon Novarro, o locutor de Rádio Cajuti (Cristóvão de Alencar) anunciou-o como Orlando Novarro. Ele, de dentro do estúdio, com o microfone ligado, corrigiu "é Orlando Garcia da Silva". E nunca mais se falou em um fictício Orlando Navarro.

Foi com "Lábios que eu Beijei", da dupla J.Cascata e Leonel Azevedo que sua voz se expraiu por todos os cantos de nossa terra e fez "nascer" milhares de fãs alucinadas.

Quase tudo que Orlando gravou foi sucesso. Tanto como romântico, quanto como carnavalesco. Em 1939 correu o Brasil com uma "Jardineira"

"Oh, jardineira porque estás tão triste,
Mas o que foi que te aconteceu ?..."
ou com um Mal-me-Quer...

"Eu perguntei ao mal me quer
Se meu bem ainda me quer..."

ou mesmo com um Jardim de Infância"

"Nós somos todos do jardim de infância,
Crianças lindas da cabeça aos pés..."

Ou mesmo "bancando" um tirolês

"No Tirol só se canta assim:
Lero lero,lero, lero, lero lero...
O nosso lero lero é diferente
O clima aqui é muito quente..."

E muito mais foi o carnaval de Orlando Silva

Saindo do carnaval, quero deixar aqui registrada uma das mais bonitas poesias musicadas gravadas por Orlando Silva e que também tem uma história. Trata-se de "ROSA".

Tu és, divina e graciosa, estátua majestosa do amor
Por Deus esculturada e formada com ardor
Da alma da mais linda flor de mais ativo olor
Que na vida é preferida pelo beija-flor
Se Deus me fora tão clemente aqui nesse ambiente de luz
Formada numa tela deslumbrante e bela
O teu coração junto ao meu lanceado pregado e crucificado
Sobre a rósea cruz do arfante peito teu.
Tu és a forma ideal, estátua magistral oh alma perenal
Do meu primeiro amor, sublime amor
Tu és de Deus a soberana flor
Tu és de Deus a criação que em todo coração sepultas o amor
O riso, a fé e a dor em sândalos olentes cheios de sabor
Em vozes tão dolentes como um sonho em flor
És láctea estrela, és mãe da realeza
És tudo enfim que tem de belo
Em todo resplendor da santa natureza
Perdão, se ouso confessar-te eu hei de sempre amar-te
Oh flor meu peito não resiste
Oh meu Deus quanto é triste a incerteza de um amor
Que mais me faz penar em esperar em conduzir-te um dia aos pés do altar
Jurar, aos pés do onipotente em preces comoventes de dor
E receber a unção da tua gratidão
Depois de remir meus desejos em nuvens de beijos
Hei de te envolver até meu padecer de todo fenecer.

Esses belos versos colocados por Pixinguinha na música de "Rosa" são da autoria de Octavio de Souza, um rapaz modesto, que trabalhava nas oficinas da Central do Brasil, no Engenho de Dentro (onde hoje se encontra o Engenhão) que não consta da etiqueta do disco original e nem das primeiras cópias gravadas em LP.
Foi Paulo Tapajós, que, entrevistando Pixinguinha para seu depoimento no Museu da Imagem e do Som, perguntou-lhe:"Pixinga, você não faz versos; quem escreveu os de "Rosa"?.
Sem poder fugir do assunto, Pixinguinha citou o nome de Octavio de Souza, que já era falecido. Dessa forma, Octavio de Souza não viu o sucesso de sua "Rosa" nem viu seu nome divulgado.

Precisa ser um CANTOR de verdade para cantar "Rosa". É uma melodia cheia de altos e baixos difícil de colocar a voz. Somente um Orlando Silva para dar vida a essa música. E ela foi sucesso devido a sua letra; quando Pixinguinha a executava em seu instrumento todos a admiravam, mas foi quando recebeu letra e a voz de Orlando que ela "estourou". E era a música que a mãe de Orlando mais gostava que ele cantasse. Quando ela faleceu ele nunca mais a cantou.

Orlando Silva faleceu em 7 de agosto de 1978 e, torcedor do Flamengo, teve seu corpo velado na sede daquele clube, na Avenida Oswaldo Cruz, junto ao Morro da Viúva.

Seu féretro foi acompanhado por uma multidão a pé, até o Cemitério São João Batista.

Hoje seus restos se encontram no Cemitério São Francisco Xavier.
Norma

Respostas ao Desafio - ( Pérolas nos Bastidores)

Liduina Belchior disse...

Foi boa!!!!!
Eu olhei ,olhei,tentei adentrar no âmago do vidro quebrado...
E o que me ocorreu foi o seguinte: é como magoar as pessoas,acabar uma amizade,ou até mesmo um amor..
Pois mesmo que você junte pedacinho por pedacinho ele não mais voltará a ser o mesmo na sua íntegra.
Como no momento tenho pessoa muito querida acidentada um tanto grave,pensei também na sua volta ao nosso convivio.
Mas tem nisso tudo o lado bom (sempre penso no bom):podemos recomeçar,reconstruir,refazer...
"Começar de novo....vai valer a pena"...

Eu de novo.Fui olhar novamente a foto
do vidro e percebi outra coisa:
Que mesmo ele arrebentado,através dele ainda se vê lá no fundo : o verde, a vida ,o mundo e a possibilidade contínua de amar.

Ricardo disse...

Estou por aqui. Ver a vida por trás de um vidro quebrado, boa idéia. Tudo podemos ver, basta fazer o seu referencial e pronto. Alguns enchergam o vidro ou a imágem por trás dele. Mas o importante é que temos a opção de ver o meio termo ou o imaginário.

Cesar Augusto disse...


Como en el vidrio roto,
Un corazón partido
siempre enseña sus cicatrices.

Claude Bloc disse...


Quebra-se o tempo
Resta a vida
Quebra-se o silêncio
Vem a alegria
Quebra-se o encanto
Nós restamos.
Restamos nós
depois da rutura
depois da dor
plenos em luz...

Desafio - Leia e Participe - Cariricaturas convida !

( foto de Heládio Teles Duarte)


Observe a foto , e aventure-se a entrar em seu domínio, em sua essência...


Para movimentar o Cariricaturas e colher muitas pérolas, temos em mente que a interatividade entre amigos que colaboram e/ou passeiam pelo nosso Cariricaturas é algo que certamente torna o contato e o convívio neste espaço muito mais prazeroso. Essa interatividade pode acontecer de várias formas. Usamos as trovas bem nos primeiros dias do Cariricaturas, mas agora veio-nos uma nova idéia para provocar e desafiar os demais.

Hoje o desafio é o seguinte: será postada uma foto e você, colaborador e/ou amigo é convidado a escrever nos comentários a sua impressão ou o sentimento que lhe causa esta foto.

Acreditamos que seja esta uma forma de interagirmos como num bom papo, numa boa prosa. Não deixe de participar. Sua presença é ouro.



(Uma simples frase, uma trovinha, um mini-texto estas são formas de colaborar)

Vamos lá ! "mão na massa"!