Criadores & Criaturas



"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
"

(Carlos Drummond de Andrade)

ENVIE SUA FOTO E COLABORE COM O CARIRICATURAS



... Por do Sol em Serra Verde ...
Colaboração:Claude Bloc


FOTO DA SEMANA - CARIRICATURAS

Para participar, envie suas fotos para o e-mail:. e.
.....................
claude_bloc@hotmail.com

sábado, 3 de dezembro de 2011

Forma e Grafia de algumas palavras

 Muitas vezes, ao escrevermos textos, corremos o risco de GRAFAR mal as palavras. Quando transportamos isso para o mundo virtual onde a pressa, com frequência, nos põe diante de "saias justas",  acabamos por "pecar" por não termos tempo de fazer as devidas correções. 

Outras tantas vezes, nos deparamos com outro problema: o de não termos agilidade suficiente na hora de digitarmos textos.  Nem todos têm obrigação de transformar seus dedos em máquinas hábeis nessa tarefa repetitiva de tocar as teclas numa produção textual. Daí incorrermos em erros de digitação que muitos confundem com crassos erros de ortografia.

Portanto, para facilitar a tarefa de alguns e a já decantada habilidade de tantos, seguem pequenos "nós" onde nos enovelamos, quando não temos muito tempo disponível para ir além dos corretores ortográficos  eletrônicos. 
Claude Bloc


 ====================================================================

 

Mas/Mais:

Mas: conjunção adversativa, equivale a porém, contudo, entretanto:
Ex.: Tento não sofrer, mas a dor é muito forte.

Mais: pronome ou advérbio de intensidade, opõe-se a menos:
Ex.: É um dos garotos mais bonitos da escola.

Onde/Aonde:

Onde: lugar em que se está ou que se passa algum fato:
Ex: Onde você foi hoje?

Aonde: indica movimento (refere-se a verbos de movimento):
Ex: Aonde você vai?

Que/Quê

Que: pronome, conjunção, advérbio ou partícula expletiva:
Ex: Convém que o assunto seja esquecido rapidamente.

Quê: monossílabo tônico, substantivo, ou interjeição.
Ex: Você precisa de quê?

Mal/Mau

Mal:
advérbio (opõe-se a bem), como substantivo indica doença, algo prejudicial:
Ex: Ele se comportou muito mal. (advérbio)
Ex: A prostituição infantil é um mal presente em todas as partes do Brasil. (substantivo)

Mau: adjetivo (ruim, de má qualidade)
Ex: Ele não é um mau sujeito.

Ao encontro de/De encontro a

Ao encontro de: significa “ser favorável a”, “aproximar-se de”.
Ex: Quando avistei minha mãe fui correndo ao encontro dela.

De encontro a: indica oposição, colisão.
Ex: Suas idéias sempre vieram de encontro às minhas. Somos mesmo diferentes.

Afim/A fim

Afim:
adjetivo que indica igual, semelhante.
Ex: Temos objetivos afins.

A fim: indica finalidade:
Ex: Trabalho hoje a fim de folgar amanhã.

A par/ Ao par

A par: sentido de “bem informado”
Ex: Eu estou a par de todas as fofocas.

Ao par: indica igualdade entre valores financeiros.
Ex: O real está ao par do dólar.

Demais/De mais

Demais:
advérbio de intensidade, sentido de “muito”.
Ex: Você é chato demais.
Demais também pode ser pronome indefinido, sentido de “os outros”.
Ex: Alguns professores saíram da sala enquanto os demais permaneceram atentos às orientações.

De mais: opõe-se a de menos.
Ex: Não vejo nada de mais em seu comportamento.

Senão/Se não

Senão:
sentido de “caso contrário”, “a não ser”.
Ex: não fazia coisa alguma senão conversar.

Se não: sentido de “caso não”.
Ex: Se não houver conscientização, haverá escassez de água.

Na medida em que/ À medida que

Na medida em que: equivale a porque, já que, uma vez que.
Ex: Na medida em que os projetos foram abandonados, os estagiários ficaram desmotivados.

À medida que: indica proporção, equivale a à proporção que.
Ex: A emoção aumentava à medida que o momento da apresentação se aproximava.



Texto produzido por Marina Cabral
Especialista em Língua Portuguesa e Literatura
Equipe Brasil Escola

Onde usar corretamente "estar" ou"está", "dar" ou "dá"?



 
Está ou estar? Dá ou dar? 

Você tem essas dúvidas com frequência?
Não há por quê: 

- o infinitivo (dar ou estar) pode ser substituído por outro infinitivo; a forma flexionada (ou está) não pode.

Vejamos isso na prática: surgiu a dúvida à
 "Ele pode [está] ou [estar] certo"?

 Vamos tentar a substituição por um infinitivo:
 "Ele pode andar certo".

 A substituição por um infinitivo é possível, logo "Ele pode estar certo".

Mais um teste: 

"Governador [] ou [dar] nova função a secretário". 

Neste caso, o certo é "", pois a substituição por outro infinitivo não é possível, não pode ser, por exemplo, "Governador ofertar nova função a secretário". 


Fonte de pesquisa: http://www.portuguesnarede.com/2008/07/est-ou-estar.html

Vivências do coração - Emerson Monteiro


Transitar nos setores do sentimento importa, pois, olhar os horizontes da paz no silêncio dos momentos eternos. Observar com imparcialidade os termos da experiência que todos carregam, resultado das inúmeras situações vividas e aprendidas pelo caminhar do tempo, estradas longas das oportunidades permanentes. Andar sabendo haver aqui do lado outros exemplares da mesma consciência dotados de iguais instrumentos de percepção face ao Universo maravilhoso. Nisso evitar preconceitos e chamas de egoísmo que sujeitam cedo queimar a esperança dos bons relacionamentos. Respeitar contradições que impedem reconhecimento de tudo de agradável que possuem as pessoas, vozes acesas nas companhias agradáveis a bordo, no longo percurso das jornadas individuais.

O gosto especial do alimento emocional demonstra o tempero da alma de quem deles usufruem. Os movimentos das ondas no lombo dos barcos, que explicam a melodia das águas nos hinos das celebrações, histórias, alegrias em forma de versos e perfumes, nutrição da tranquilidade dos que compreendem sonhar e caminhar próximos sem timidez.

Enquanto uns falam dos deuses, outras agem com as manias da flor da pele, impaciências, contrições e abraços rústicos, quais quem pretende dominar os minutos da força poderosa nas eras indomáveis. Querer, na marra, usufruir o prazer da perfeição nas formas físicas que fogem feito fumaças e pó. Acham aqueles motivos de satisfação em avançar os limites de seus direitos e arrancar os mistérios alheios por capricho e violência. Contudo há uma ordem maior em tudo. Tristes dos que imaginarem recriar a natureza por mérito particular quando saem quebrando as determinações do destino, qual possível fosse assim obter e escapar da justiça sagrada abrangente.

Amar pede, no íntimo, harmonia e habilidade extremas; sabedoria e valores sólidos. Exercitar práticas de virtude com a grandeza dos planaltos virgens, dimensões abertas ao sol dos dias da felicidade; isto oferece ao ritmado coração das pessoas, a cada instante, oficina de carinho e sala de aula de gentilezas. Querer bem permite aos demais também o que se deseja a si próprio. Estender mãos e colher as pérolas do presente nas bênçãos aos próximos de nós, espírito de bom humor e satisfação comum, moldes melhor da pura tranquilidade. Sabor doce vem à tona, leve nas asas dos acontecimentos, água viva que nasce das fontes da dedicação num mosteiro de luz e pavilhões, mais sadias aproximações.

SHOW: Dihelson Mendonça Trio - Dia 10 de Dezembro - SESC - Projeto Música ao Pôr-do-Sol

Show "EQUINÓCIO"

http://3.bp.blogspot.com/-qCdfcJk4bkI/TtoGWDSqTsI/AAAAAAAAcKI/zznl877fqW4/s1600/Dihelson_projeto_por_do_sol2.jpg


Com:


Dihelson Mendonça - Piano
João Neto - Contrabaixo
Saul Brito - Bateria
Participação Especial - Marcelo Randemarck - Contrabaixo.

Serviço

Data: Dia 10 de Dezembro
Local: Praça da Ladeira da Integração
Patrocínio: SESC CRATO