Criadores & Criaturas



"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
"

(Carlos Drummond de Andrade)

ENVIE SUA FOTO E COLABORE COM O CARIRICATURAS



... Por do Sol em Serra Verde ...
Colaboração:Claude Bloc


FOTO DA SEMANA - CARIRICATURAS

Para participar, envie suas fotos para o e-mail:. e.
.....................
claude_bloc@hotmail.com

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O Festival de Besteira Que Assola o País- Sérgio Porto- Colaboração de Aloísio

Stanislaw Ponte Preta
(Sérgio Porto)

Disse Stanislaw no FEBEAPA 2:

"É difícil ao historiador precisar o dia em que o Festival de Besteira começou a assolar o País. Pouco depois da "redentora", cocorocas de diversas classes sociais e algumas autoridades que geralmente se dizem "otoridades", sentindo a oportunidade de aparecer, já que a "redentora", entre outras coisas, incentivou a política do dedurismo (corruptela de dedo-durismo, isto é, a arte de apontar com o dedo um colega, um vizinho, o próximo enfim, como corrupto ou subversivo — alguns apontavam dois dedos duros, para ambas as coisas), iniciaram essa feia prática, advindo daí cada besteira que eu vou te contar".

Vamos a algumas amostras:

"O mal do Brasil é ter sido descoberto por estrangeiros" (Deputado Índio do Brasil, Assembléia do Rio).
O cidadão Aírton Gomes de Araújo, natural de Brejo Santo, no Ceará, era preso pelo 23.º Batalhão de Caçadores, acusado de ter ofendido "um símbolo nacional", só porque disse que o pescoço do Marechal Castelo Branco parecia pescoço de tartaruga e logo depois desagravava o dito símbolo, quando declarava que não era o pescoço de S. Exa. que parecia com o da tartaruga: o da tartaruga é que parecia com o de S. Exa.
Cerca de 51 bandeiras dos países que mantêm relação com o Brasil foram colocadas no Aeroporto de Congonhas. O Secretário de Turismo de São Paulo — Deputado Orlando Zancaner — quando inaugurou a ala das bandeiras, disse que "era para incrementar o turismo externo".
Quando a Censura Federal proibiu em Brasília a encenação da peça Um Bonde Chamado Desejo, a atriz Maria Fernanda foi procur ar o Deputado Ernani Sátiro para que o mesmo agisse em defesa da classe teatral. Lá pelas tantas, a atriz deu um grito de "viva a Democracia". O senhor Ernani Sátiro na mesma hora retrucou: "Insulto eu não tolero".
O Diário Oficial publica "Disposições de Seguros Privados" e mete lá: "O Superintendente de Seguros Privados, no uso de suas atribuições, resolve (...), "Cláusula 2 — Outros riscos cobertos — O suicídio e tentativa de suicídio — voluntário ou involuntário".
Em Niterói o professor Carlos Roberto Borba iniciou ação de desquite contra a professora Eneida Borba, alegando que sua esposa não lhe dá a menor atenção e recebe mal seus carinhos quando é hora de programas de Roberto Carlos na televisão. A professora vai aprender que mais vale um Carlos Roberto ao vivo que um Roberto Carlos no vídeo.
Colhemos num coleguinha do Jornal do Brasil:
"O General José Horácio da Cunha Garcia fez uma firme apologia da Revolução e manifestou-se contrariamente às teses de pacificação, bem como condenou o abrandamento da ação revolucionária. O conferencista foi aplaudido de pé". O distraído Rosamundo leu e, na sua proverbial vaguidão, comentou: "Não seria mais distinto se aplaudissem com as mãos?".
Enquanto o Marechal Presidente declarava que em hipótese alguma permitiria fosse alterada a ordem democrática por estudantes totalitários, insuflados por comunistas notórios, quem passasse pela Cinelândia no dia 1.º de abril depararia com o prédio da assembléia Legislativa totalmente cercado por tropas da Polícia Militar. Na certa, a separação de poderes, prevista na Constituição, passará a ser feita com cordão de isolamento e muita cacetada.
Notícia publicada pelo jornal O Povo, de Fortaleza (CE): "O Dr. Josias Correia Barbosa, advogado e professor, esteve à beira de um IPM (Inquérito Policial Militar) po r haver passado um telegrama para sua sobrinha Loberi, em Salvador, comunicando-lhe que a bicicleta e as pitombas tinham seguido. Houve diligencias pelas vizinhanças, parentes foram procurados e outras providências tomadas. Passados dois dias, soube o Dr. Josias que o despacho telegráfico não fora transmitido porque um James Bond do DCT (Departamento de Correios e Telégrafos) estranhara os termos "bicicleta", "pitombas" e "Loberi", que "deviam ser de um código secreto".
"Os jornalistas deveriam apanhar da polícia não só durante a passeata, mas antes também. Eles são incapazes de reconhecer o valor da polícia. Os fotógrafos, por exemplo, nunca fotografam os estudantes batendo no policial". Essa declaração foi feita pelo Secretário de Segurança de Minas Gerais, coronel Joaquim Gonçalves.
A peça "Liberdade, Liberdade" estreou em Belo Horizonte e a Censura cortou apenas a palavra prostituta, substituindo-a pela expressão: "Mu lher de vida fácil", o que, na atual conjuntura, nos parece um tanto difícil. Ninguém mais tá levando vida fácil.
Segundo Tia Zulmira "o policial é sempre suspeito" e — por isso mesmo — a Polícia de Mato Grosso não é nem mais nem menos brilhante do que as outras polícias. Tanto assim que um delegado de lá, terminou seu relatório sobre um crime político, com estas palavras: "A vítima foi encontrada às margens do riu sucuriu, retalhada em 4 pedaços, com os membros separados do tronco, dentro de um saco de aniagem, amarrado e atado a uma pesada pedra. Ao que tudo indica, parece afastada a hipótese de suicídio".
Em Campos (RJ) ocorria um fato espantoso: a Associação Comercial da cidade organizou um júri simbólico de Adolph Hitler, sob o patrocínio do Diretório Acadêmico da Faculdade de Direito. Ao final do julgamento Hitler foi absolvido.
A mini-saia era lançada no Rio e execrada em Belo Horizonte , onde o Delegado de Costumes (inclusive costumes femininos), declarava aos jornais que prenderia o costureiro francês Pierre Cardin (bicharoca parisiense responsável pelo referido lançamento), caso aparecesse na capital mineira "para dar espetáculos obscenos, com seus vestidos decotados e saias curtas". E acrescentava furioso: "A tradição de moral e pudor dos mineiros será preservada sempre". Toda essa cocorocada iria influenciar um deputado estadual de lá — Lourival Pereira da Silva — que fez um discurso na Câmara sobre o tema "Ninguém levantará a saia da Mulher Mineira".
Em Brasília, depois de um dos maiores movimentos do Festival de Besteira, que bagunçou a Universidade local, o Reitor Laerte Ramos — figurinha que ama tanto uma marafa que cachaça no Distrito Federal passou a se chamar "Reitor" — nomeava um professor para a cadeira de Direito Penal. O ilustre lente nomeado começou com estas palavras a sua primeira aula: "A ciênc ia do Direito é aquela que estuda o Direito".
A Igreja se pronunciou, através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, sobre recentes publicações pretensamente científicas, "que abordam problemas relacionados ao sexo com evidente abuso". O documento não explicou se o abuso era do problema ou se o abuso era do sexo. Em compensação, nessa mesma conferência, Dom José Delgado, Arcebispo de Fortaleza, dava entrevista à Agência Meridional sobre pílulas anticoncepcionais, uma pílula formidável para fazer efeito no Festival de Besteira. Como se disse bobagem sobre o uso ou não da pílula, meus Deus!!! Dom Delgado, por exemplo, dizia: "A protelação do casamento é a única conclusão a que chego, atualmente, para a planificação da família e o controle da natalidade. E, depois disso, só existe um caminho seguro: o da continência na vida conjugal". Como vêem, o piedoso sacerdote era um bocado radical e queria acabar com a alegria do pobre. Ainda mais, falando em sexo e em continência na vida conjugal, deixou muito cocoroca achando que, dali por diante, era preciso bater continência para o sexo também.
Textos extraídos dos livros "O Festival de Besteira que Assola o País", Editora do Autor - Rio de Janeiro, 1966, "2.º Festival de Besteira que Assola o País", Editora Sabiá - Rio de Janeiro, 1967, e "Na Terra do Crioulo (A máquina de fazer) Doido - FEBEAPA 3", Editora Sabiá - Rio de Janeiro, 1968, págs. diversas.
Sabe aquele filme de que você gostou muito, mas cujo título você não lembra, nem dos nomes dos atores e das atrizes? Seus problemas acabaram!
Tudo o que você quiser saber (ou lembrar) sobre filmes estrangeiros em 65 anos está catalogado e ao seu alcance. Ficha completa de filmes.
Antes de pegar filmes na locadora, consulte este site feito por uma pessoa detalhista, cinéfilo há 65 anos.
Um trabalho de alta qualidade!
Clique no endereço abaixo e comprove:


http://www.65anosdecinema.pro.br/index.htm

CRATO...DE FRENTE PARA A MONTANHA...


CRATO

Meu olhar se perde na tua paisagem
No teu verde, em mil lembranças e
Recordações impregnadas de saudades,
De histórias, de amores, de amigos.
Das matinais, da Missa na Matriz
Das internas e externas do Santa Teresa, e tantas outras “Teresas”...
Parei essa manhã em frente ao Diocesano, aguardando a hora de entrar
Pra aula, mas não é mais a hora...dou meia volta e sigo.
Sinto saudades das conversas intermináveis nos bancos da pracinha
Nas subidas de tuas ladeiras, na tua água límpida que
Mata a sede e nos traz de volta, sempre...
Como o canto da Sereia nos chama:.vem, vem, vem ser feliz de novo!
Me encontro cansado dessa distância, melancolia que remexe a alma.
Quero ouvir o barulho e o cheiro das chuvas torrenciais
Do mês de Julho, dos banhos de bica,
Do frio da serra, da enchente do Granjeiro
Quando havia enchentes, noites enluaradas e seresteiras.
Sinto falta da calçada da Pedra Lavrada
Com minha avó Doninha mandando entrar
Com medo d’a cheia nos levar.
O Rio levava tudo...mas não levou nossas lembranças e a amizade que ficou.
Olho-te do alto partindo mais uma vez. Um nunca querer ir ..um sempre querer voltar.
Um menino de costas pra Montanha
Hoje o homem de frente pra Montanha, hora de refazer o caminho
Hora de voltar.

(Para meu amigo/irmão Arilo Luna)

Claro-escuro

Recostado numa preguiçosa, abaixo de uma velha jaqueira, o velho Sinfrônio Arnaud contemplava os canaviais do Cotovelo, com vista privilegiada. Um sol já meio bemol, de quatro da tarde, parece envernizar as folhas das canas que brilham e tremeluzem tangidas por um renitente vento de agosto. Arnaud punha-se a pensar nos destinos de Matozinho que vira crescer quase que de dentro da sua fazenda e hoje, varadas mais de oito décadas, empinava o umbigo e criava ares de gente lorde. Certo que ,como todo novo rico, ainda mesclava costumes matutos com atitudes grã-finas: a meio caminho entre a buchada e o caviar. Uma conversa, pela manhã, com um político neófito da vila, o pôs a matutar sobre o tempo que tudo vai engolindo com sua bocarra de Jaraguá. As verdades monolíticas de ontem dissolvem-se ,como por encanto, sob a ação inexorável das horas e do amálgama gelatinoso resultante esculpem-se novos costumes, novos paradigmas aparentemente sólidos e indissolúveis.
Metido tantos anos na política da cidade, construíra quase que uma nova constituição de leis populares, de limites e fronteiras intransponíveis nas campanhas eleitorais. Naqueles idos -- lembra-se com um sorriso mal disfarçado, nosso Sinfrônio – político não roubava. Primeiro, porque não havia sequer dinheiro em caixa: as verbas da prefeitura dependiam da arrecadação municipal de impostos cobrados a pessoas paupérrimas, a comerciantes pequenos. Tantas e tantas vezes precisou tirar do próprio bolso para cobrir as obrigações de final de mês. A palavra “ladrão”, assim, era termo proibitivo em qualquer circunstância e redundava, inevitavelmente, em faca no vazio , tapa no pé-do-ouvido, tiro de papo amarelo nos peitos do insultador. Qualquer alusão, também, a possíveis desvios sexuais padrões de candidatos ou parentes destes, resolvia-se nos campos de batalha e não nos tribunais. Sinfrônio mesmo comentava, com orgulho , que sua terra não possuía veados e nem mulher metida a homem : “ isso é putaria da capital e de Bertioga” , costumava dizer. Permitiam-se, apenas, fofocas atinentes a teúdas & manteúdas, mijos fora do caco , gambiarras dos candidatos do sexo masculino, até porque isso, se não acrescia, também não tirava voto de ninguém. O adultério masculino via-se como uma atividade normal e comum, já o feminino tinha leis específicas não muito diferentes das islâmicas.
Debaixo da jaqueira, Arnaud pensava na conversa que tivera pela manhã com Seginaldo Trancoso, um vereador em ascensão em Matozinho e só então percebeu como, definitivamente, aqueles bons tempos tinham sido mastigados pela engolideira do tempo. Trancoso contou que resolvera se candidatar pela primeira vez a vereador e, pouco conhecido, ninguém botou fé na sua candidatura. Tinha apenas uma bodeguinha na Vila e muitos conhecidos. De maneiras que ele, correndo nas laterais do campo, sem que ninguém percebesse bem, terminou sendo eleito. No pleito seguinte, no entanto, os adversários, já acordados, caíram de pau. Espalharam logo a notícia que ele era veado. A princípio Seginaldo disse ter ficado um pouco chateado, mas sustentou o dedo no apito: estava na chuva era prá se molhar. Pois, segundo ele, o tiro saiu pela culatra, aconteceu que perseguido, virou vítima , as florzinhas da cidade votaram todas nele que terminou como um dos mais bem votados na cidade. No último pleito, relatou Seginaldo, candidatei-me novamente e , aí, eles mudaram a tática: espalharam a fofoca que eu era corno. Aguentei calado novamente, embora sob protestos da minha santa esposa . Pois bem, desta vez é que a vitória foi arrasadora: todos os cornos de Matozinho votaram em mim e terminei como o mais votado e ainda presidente da Câmara. Na próxima eleição -- falou com franqueza Seginaldo para Sinfrônio -- estou achando que vão espalhar por aí que sou ladrão, pois é , vou sair logo candidato a Senador, não vai ter urna para suportar tanto voto !
No horizonte, Sinfrônio observou o sol desaparecer pro trás dos morros da Serra da Jurumenha . A noite invadia de sombra o Cotovelo. O mundo e a vida fluíam em meio à luz e a treva, num jogo eterno de claro-escuro.


J. Flávio Vieira

Curtas - II - Por Aloísio

Comida
Com Midas
Vira ouro
Aloísio

ORGULHO DE SER CRATENSE

Sim. E hoje acordei ainda mais orgulhoso.
Ontem tive a satisfação de ver aqui em Fortaleza, mas precisamente no monumento criado para abrigar grandes espetáculos, O Centro Dragão do Mar de Artes e Cultura, a encenação da peça “A COMÉDIA DA MALDIÇÃO”. E posso afirmar que foi algo emocionante.
O público encheu aquele espaço. Risos, palmas, gritos, aplausos e mais aplausos.
Digo-lhes que o Crato pode se ver por inteiro no espetáculo.
O texto é simplesmente maravilhoso, nos levando por vezes a nos ver em plena feira do Crato, gozando das presenças maravilhosas de Mestre Elói Teles, ladeado pelo também Mestre Dedé de Luna, Cego Oliveira com sua rabeca cantando a música NA PORTA DOS CABARÉS, Azuleika com o seu pandeiro desafiando Zé Gato, Mestre Chico Aniceto soltando loas, Mestre Carnaúba cantando côco, Mestre Cirilo cantando Maneiro Pau, É uma farra maravilhosa.
O público entrou na festa. Ora ria, Ora aplaudia, Ora torcia pelo personagem Tandô, Ora gritava, Ora xingava a Mula Sem Cabeça, ouvi assovios para Lady Zefa, . A participação e a troca de energia foi algo que ficou muito vivo durante todo o espetáculo.
Tecnicamente posso garantir que o grupo conseguiu uma perfeita harmonia. Tudo afinado.
O texto em versos deixa claro nas suas quadras a característica cordelesca do espetáculo. Ariano Suassuna com certeza vai vibrar quando puder ver.
O personagem Tandô costura bem o duo texto/cena.
Muito interessante quando montaram um terreiro de umbanda em plena praça da Igreja. Foi de impressionar. Foi demais. Parabéns.
A entrada da Mula Sem Cabeça nos faz lembrar o espetáculo do Boi Bumbá em meio a apresentação do Reisado do Mestre Aldemir. Muuuito bonito.
O alinhavado cantado por Samara não deixa ninguém se perder na trama.Parabéns Samara.
E o providencial violão do Mestre Lifanco dá o molho especial que finaliza o prato servido.
O banquete está pronto. Vocês estão inteiros para cruzar as fronteiras do Brasil. Vão fundo. Olhem prá frente e vocês com certeza chegarão lá. Que venha a África para abrir essa estrada.
Muito obrigado a Cacá Araújo, Carla Hemanuela, Charline Moura, Jardas Araújo, Edival Dias, Joênio Alves, Jonyzia Fernandes, Joseany Oliveira, Josernany Oliveira, Lifanco, Lílian Carvalho, Lorenna Gonçalves, Márcio Silvestre, Orleyna Moura, Paula Amorim, Paulo Henrique Macêdo Samara Neres, França Soares, Danilo Brito, Luciana Ferreira, Emerson Rodrigues, Felipe Tavares, Mônica Batista e a quem mais eu tenha esquecido de citar.
Vocês me fazem sentir orgulho de ser cratense.
Estou orgulhoso sim.

Wilton Dedê

A luz que acompanhou a imagem de São Vicente Ferrer de Juazeiro do Norte a Crato -- por Armando Rafael


Depois da devoção a Nossa Senhora da Penha, um dos santos mais cultuados em Crato é São Vicente Ferrer. Por isso, é interessante relembrar um fato que teria ocorrido, no final do século 19, relacionado com a estátua desse santo, venerada na Igreja-Matriz da Paróquia do mesmo nome, na cidade de Crato.
Devemos a preservação da memória desse acontecimento a Irineu Pinheiro, cfe. vê-se no livro “O Cariri”, editado em Fortaleza (CE) em 1950, página 270. Consta lá:

É muito antigo o culto a São Vicente Ferrer, no Crato. Em 1788, já havia, ali, um oratório dedicado ao grande taumaturgo espanhol (...) Em 29 de dezembro de 1801, como se pode ver no primeiro cartório do Crato, doou Dona Luiza Joana Bezerra, viúva do capitão Sebastião de Carvalho Andrade, mãe do Padre Pedro Ribeiro da Silva, iniciador da capela de Juazeiro, terras próximas do Crato”, junto à falda da Serra Grande (Araripe) para o patrimônio de “uma capela de pedra e cal” que ela, a doadora, se comprometia a erigir em honra do Senhor São Vicente, com o fim de “beneficiar a alma de seu marido e em favor do bem espiritual de sua pessoa e de outros “pertencentes”.

(Esclarecemos que Luiza Joana Bezerra era a filha mais velha do Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro, este o construtor da capelinha de Nossa Senhora das Dores, na Fazenda Tabuleiro Grande, origem da cidade de Juazeiro do Norte).

Vamos à página 271, do livro citado.
“No paroquiado do Padre Antônio Fernandes da Silva (1883 a 1892), trouxeram ao Crato, desde a derradeira estação da Estrada de Ferro de Baturité, numa distância de dezenas de léguas, a atual estátua de São Vicente Ferrer, substituta da primitiva, que era pequena. Carregaram-na através dos sertões, num caixão, em ombros de homens, à frente destes o Padre Felix de Moura (...)

“Em menino, ouvi dizer que da povoação de Juazeiro, penúltima etapa da viagem, até o Crato, viu-se no céu uma estrela a acompanhar a imagem, nos treze quilômetros que medeiam entre as duas localidades caririenses. Era a lenda que ia se formando em torno do Santo, pensava eu. Mas, depois, verifiquei haver algo de verdade na versão do povo. Uma vez, em Juazeiro, a passeio visitei a boa velhinha Teresa do Padre Cícero, assim chamada por ter sido criada em casa do famoso sacerdote, considerada pessoa da família por sua bondade e dedicação, e ela, no correr da conversação, disse-me quase textualmente:

“Dormiu aqui, em Juazeiro, na capela, o caixão em que veio São Vicente. Sinhozinho (era assim que ela tratava o Padre Cícero), Sinhozinho e o Padre Felix convidaram o povo para levá-lo ao Crato, na madrugada seguinte. Bem cedo, inda escuro, postei-me na Rua Grande, onde morava e moro hoje, num terreno vago, do lado nascente, e aguardei a passagem do préstito. Ao aproximar-se o caixão, ao lado os dois padres, vi sair entre a igreja e a casa que lhe ficava mais próxima, uma luz muito brilhante que voou rápida em busca do santo. Não pretendia eu ir ao Crato, mas, em vista do prodígio, corri até minha casa, pus, às pressas, um chale à cabeça e encorporei-me no cortejo que era numeroso”.

E conclui Irineu Pinheiro:
“Estimaram-na todos que conheceram à velhinha Teresa, morta há alguns anos nonagenária, sempre tida por absolutamente fidedigna”.

Que a luz de São Vicente Ferrer continue a brilhar neste vale do Cariri, de modo especial na cidade de Crato, onde ele é particularmente venerado.

Tony Curtis morre aos 85 anos





Fonte: Site Terra

O ator americano Tony Curtis (à esquerda nos tempos de fama e à direita, na fase final de sua vida) morreu aos 85 anos em sua residência na cidade de Henderson, no estado americano de Nevada, informou nesta quinta-feira (30) sua filha, a atriz Jamie Lee Curtis, ao site Entertaiment Tonight. Protagonista de várias comédias de Hollywood das décadas de 1950 e 1960, como Quanto Mais Quente Melhor (1959), Curtis foi hospitalizado em julho em Las Vegas (EUA) por conta de problemas respiratórios, mas ainda não foram divulgados detalhes de sua morte.

Com mais de 50 anos de carreira e uma centena de filmes como protagonista, Curtis, cujo verdadeiro nome era Bernard Schwartz, nasceu em 3 de junho de 1925, em Nova York, em uma família de origem judaica. Estudou interpretação na Academia de Arte Dramática de sua cidade natal e, em 1949, estreou em Hollywood com um papel de coadjuvante em Baixeza.
Sua popularidade no cinema começou dois anos depois com O Príncipe Ladrão e protagonizou depois títulos como Trapézio (1956), Acorrentados (1958) e Spartacus. Uma de suas mais famosas interpretações seria Quanto Mais Quente Melhor, na qual Billy Wilder contracenou Marilyn Monroe e Jack Lemon.

Curtis se casou em seis ocasiões, a primeira delas em 1951 com a atriz Janet Leigh, mãe de suas filhas Jamie Lee e Kelly Curtis, também atrizes. Ele deixa a mulher, a modelo Jill Vandenberg, 45 anos mais nova do que ele. Tony Curtis se despediu do cinema em 2005 com uma colaboração na série televisiva CSI. Nos últimos anos de vida, cultivou uma de suas grandes paixões, a pintura. Em 2008, expôs uma coleção de 35 quadros nas lojas de departamento londrinas Harrods. O ator sempre mostrou seu amor pelo cinema. "Continuo gostando do cinema porque é minha vida. Sou feito de celuloide", declarou, ao receber dez anos atrás um prêmio no Festival Internacional de Sitges (nordeste da Espanha).

Adivinhem quem vem para almoçar ?! - por Socorro Moreira



Ela chegou de surpresa. Eufórica com os preparativos para o Salão de Outubro. Eu estava às voltas com um almoço especial. Ela adivinhou ou  nos adivinhamos ?
Agora adivinhem vocês ... Quem vem para almoçar comigo  , nesta quinta-feira ?
Fiz iguarias de forno e de geladeira !

Pérola nos bastidores - Por Domingos Barroso



Não se preocupe.
Seu Pégaso aguarda sobre o telhado.

E olha que ele só se alimenta
de estrelas e luas.

Não se incomode,
quando der certo noutro dia
em outra noite basta assobiar:
"fiuuu, meu Pégaso! fiuuuu!"

E ele beijará seus pés,
abanará as asinhas
e lhe perguntará
todo solícito:

"Para o Rio, madame?"
"Não, agora é Portugal
e depois uma chegadinha
em Paris..."

Carinhoso abraço,
minha amiga.
Domingos

Mais uma do "magistrado" Gilmar - José Nilton Mariano Saraiva

E o "magistrado" Gilmar Mendes, continua aprontando.
Quem não lembra que, meses atrás, após desrespeitar colegas ao atropelar ritos processuais consagrados, sua excelência achou por bem conceder dois habeas-corpus para tirar da cadeia o bandido Daniel Dantas (a troco de quê, não se sabe).
Agora, às vésperas da eleição, o beneficiário é o presidenciável José Serra. Vejam abaixo.
*********************************

Após falar com Serra, Mendes pára sessão
Ministro do STF adiou julgamento que pode derrubar exigência de dois documentos na hora de votar, pedida pelo PT
Candidato e ministro negam conversa, que foi presenciada pela Folha; julgamento sobre se lei vale continuará hoje
Moacyr Lopes Junior e Catia Seabra

Após receber uma ligação do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar. Serra pediu que um assessor telefonasse para Mendes pouco antes das 14h, depois de participar de um encontro com representantes de servidores públicos em São Paulo. A solicitação foi testemunhada pela Folha.
No fim da tarde, Mendes pediu vista (mais prazo para análise), adiando o julgamento. Sete ministros já haviam votado pela exigência de apresentação de apenas um documento com foto, descartando a necessidade do título de eleitor. A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos é apontada por tucanos como um fator a favor de Serra e contra sua adversária, Dilma Rousseff (PT). A petista tem o dobro da intenção de votos de Serra entre os eleitores com menos escolaridade. A lei foi aprovada com apoio do PT e depois sancionada por Lula, sem vetos.
Ontem, após pedir que o assessor ligasse para o ministro, Serra recebeu um celular das mãos de um ajudante de ordens, que o informou que Mendes estava na linha. Ao telefone, Serra cumprimentou o interlocutor como "meu presidente". Durante a conversa, caminhou pelo auditório. Após desligar, brincou com os jornalistas: "O que estão xeretando?" Depois, por meio de suas assessorias, Serra e Mendes negaram a existência da conversa. Para tucanos, a exigência da apresentação de dois documentos pode aumentar a abstenção nas faixas de menor escolaridade. Temendo o impacto sobre essa fatia do eleitorado, o PT entrou com a ação pedindo a derrubada da exigência.
O resultado do julgamento já está praticamente definido, mas o seu final depende agora de Mendes. Se o Supremo não julgar a ação a tempo das eleições, no próximo domingo, continuará valendo a exigência.

BAILA COMIGO - Festa temática

E enfim estamos fazendo a festa que mais gostaríamos de fazer. O projeto "BAILA COMIGO" está iniciando-se muito ao gosto de pessoas que sofrem por um espaço para o seu entretenimento. Para a realização da festa, a produtora Sertão Pop, em parceria com a OK Produções, Mônica Vitoriano Produções e o Crato Tênis Clube, uniram-se com um único propósito: o de proporcionar a alegria, o encontro, o saudosismo e o encantamento da boa festa, da boa música e de tudo o que envolve nesse momento de descontração e de revitalização da curtição. Aliás, curtição, um termo muito usado por quem já tem acima de 30 anos, e é o que não vai faltar na festa. Pretendemos inicialmente fazer um evento que tenha a nossa cara, com bandas locais e dentro do espaço mais tradicional do Cariri, o majestoso Crato Tênis Clube. O nosso desejo é continuar e intensificar essa parceria, e nas próximas edições, quem sabe, mesclar os nossos artistas com outras bandas do Brasil, que se identifiquem com a nossa proposta. Somos muito gratos aos nossos importantíssimos patrocinadores que sentem junto conosco a necessidade de acontecerem eventos de valorização da boa música, do bom convívio entre as pessoas e de proporcionar espaços e festas de alto nível na nossa região. A preservação da nossa história, música, moda, gírias, modo de conviver, dança, etc, será o grande diferencial da festa "BAILA COMIGO". Será através desse evento que, para as outras edições, pretendemos nos inspirar na constante busca de melhorar e de tornar a festa tão tradicional quanto são o já conhecido "CARNAVAL DA SAUDADE", o baile do "PRETO E BRANCO", em Juazeiro do Norte, e tantas outras festas que tínhamos por aqui. O "BAILA COMIGO" é um evento de fantasia, momento para extravasar as nossas alegrias e ao mesmo tempo de mostrar que temos sim como fazer acontecer eventos que não sejam como a mídia atual quer. Sabemos o que é bom, sabemos apreciar o belo e somos da paz, da alegria e gostamos de viver bem.
Assim, convidamos às pessoas que querem viver esses momentos, a chegar junto com todos da produção, do Crato Tênis Clube e principalmente valorizando os nossos patrocinadores que são realmente os verdadeiros mantenedores da nossa alegria. Venha, traga sua fantasia e energia. Venha com trajes de época (não obrigatório), assim certamente a festa será mais bonita.
Queremos agradecer, de coração às seguintes empresas: (e aos seus proprietários, claro)
- CITROEN - do nosso companheiro Junior.
- G7 CONSTRUÇÕES - do prezado empresário Guedes.
- ACPP - do nosso amigo Josean
- CANUTO IMÓVEIS - de Juazeiro, agradecendo ao amigo Fagner Canuto
- CARTÓRIO DO 5º OFÍCIO, do incansável amigo Teófilo.
- CARIRI MOTOS - nossa querida companheira Alciony
- LABORATÓRIO PAULO CARTAXO do estimado André Barreto
- DROGARIA CARIRI E CARIRI MEDICAMENTOS - dos grandes empresários Freire e Socorrinha
- PROGRAMA MULTIMÍDIA do prestigiado Marcelo Fraga
- SORVETERIA BAKANAS do casal bacana Candice e Fábio
- CP PNEUS do parceiro Ramon
- LOJA PEGADAS do empresário Beto Coelho
- PREFEITURA MUNICIPAL DO CRATO, com o Prefeito Samuel Araripe sempre nos apoiando
- SESC CRATO - na pessoa fantástica que é a Carla Vanessa.
- CRATO TÊNIS CLUBE - obrigado ao companheiro Danja, sempre parceiro das nossas produtoras.

BISAFLOR CONTA HISTÓRIAS

A GALINHA PERTENCE À TERRA, A ÁGUIA PERTENCE AO CÉU
(Uma história africana)


Era uma vez um camponês que desejava criar um pássaro em cativeiro. Foi até a floresta e encontrou um filhote de águia. Levou-o para casa e criou-o junto com galinhas, apesar de ser a águia o rei dos pássaros.
O filhote de águia passou a comer milho e ração própria para galinhas, e a comportar-se como essas aves.
Alguns anos mais tarde chega à casa do camponês, um naturalista que, ao observar sua criação de galinhas, comenta:
– Aquela ali é uma águia. Que faz no meio das galinhas?
– De fato nasceu águia – respondeu o homem – porém eu a criei como galinha e agora ela é uma galinha.
– Mas ela é e sempre será uma águia – disse o naturalista – pois tem coração de águia. Vou provar-lhe que ela pode voar, pois nasceu para as alturas.
– Que nada! – retrucou o camponês. Ela se transformou em galinha, jamais voará.
Decidiram, então, testar se a águia voaria ou não. O naturalista pegou a águia e erguendo-a bem alto, desafiou-a:
– Você pertence ao céu e não à terra. Você é uma águia, abra as asas e voe!
A águia olhava distraída para o chão, onde as galinhas ciscavam, e pulou para junto delas.
O camponês argumentou para o naturalista.
– Viu? Ela virou uma simples galinha!
O naturalista, porém, insistiu que faria nova tentativa no dia seguinte, porque acreditava que “uma águia sempre será uma águia”.
No outro dia ele subiu com a águia para o telhado da casa e sussurrou-lhe:
– Você pertence ao céu, abra suas asas, voe alto, pois você é uma águia.
Mais uma vez o pássaro olhou para baixo e pulou para junto das galinhas que ciscavam grãos.
O camponês sorriu e comentou:
– Eu lhe disse, ela virou galinha.
– Não, ela é águia, possuirá sempre um coração de águia – respondeu com obstinação o naturalista, acrescentando que tentaria ainda uma vez.
Na madrugada do dia seguinte, o naturalista e o camponês pegaram a águia e se dirigiram para o alto de uma montanha. O sol nascia dourando os picos das montanhas. O naturalista ergueu a águia e ordenou-lhe:
– Águia, voe! Você pertence ao céu e não à terra, você tem coração de águia, abra suas asas e voe!
A águia, sobressaltada e tremendo, olhava ao redor. Parecia experimentar novo dia. Porém ficou quieta.
O naturalista ergueu-a com mais firmeza e mais alto, colocando-a com os olhos voltados para o Sol, para que sua visão se enchesse da claridade solar e da vastidão do horizonte.
Ela então abriu suas majestosas asas, grasnou como águia e, soberanamente, se ergueu sobre si mesma. E começou a voar, voar mais alto, cada vez mais alto em busca do infinito, até perder-se no azul do firmamento.

Teresa de Lisieux




Teresa de Lisieux (Alençon, 2 de janeiro de 1873 — Lisieux, 30 de Setembro de 1897) foi uma religiosa carmelita francesa e Doutora da Igreja. É conhecida como Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face ou, popularmente, Santa Teresinha.

James Dean



James Byron Dean (Marion, Indiana, 8 de Fevereiro de 1931 - Salinas, Califórnia, 30 de Setembro de 1955) foi um ator estadunidense. É considerado um ícone cultural, como a melhor personificação da rebeldia e angústias próprias da juventude da década de 1950.

Sérgio Porto



Sérgio Marcus Rangel Porto (Rio de Janeiro, 11 de janeiro de 1923 — Rio de Janeiro, 30 de setembro de 1968) foi um cronista, escritor, radialista e compositor brasileiro. Era mais conhecido por seu pseudônimo Stanislaw Ponte Preta.

Deborah Kerr




Deborah Jane Kerr-Trimmer (Helensburgh, 30 de Setembro de 1921 — Suffolk, 16 de outubro de 2007) foi uma atriz britânica nascida na Escócia. Recebeu um Óscar honorário por sua carreira, que sempre representou perfeição, disciplina e elegância. Foi homenageada pela Rainha do Reino Unido com a Ordem do Império Britânico.


Johnny Mathis



Nascido em Gilmer, Texas, no dia 30 de Setembro de 1935.

Camarão a Thermidor ou Camarão com abacaxi ?



Ingredientes:
- 750 gr de carne de lagosta ou 1 kg de camarão
- 3 gemas de ovo
- 150 gr de queijo prato ralado
- 1 lata de creme de leite
- 1 vidro de champignon
- Azeite
- Tomate
- Pimentão
- Cebola
- Cheiro-verde
- 2 1/2 chávenas de leite
- 3 colheres, das de sopa, de farinha de trigo
- 1 colher, das de sopa, cheia de manteiga
- Pimenta em pó e Sal (a gosto)


Preparação:
Colocar a carne da lagosta ou o camarão de molho com limão. Fazer um refogado com o camarão ou lagosta, azeite, tomate, pimentão, cebola e cheiro verde.Enquanto cozinha, fazer um creme com o leite, a farinha de trigo e com a manteiga. Colocar a pimenta em pó e provar o sal. Depois de engrossar, abaixe o fogo e deixe cozinhar durante 5 minutos. Retire do fogo e quando estiver morno coloque as gemas, o queijo prato ralado, o creme de leite e o champignon. Arrume num pirex untado a lagosta ou camarão, jogar o creme por cima, polvilhar com o queijo ralado. Leve ao forno para gratinar.


www.maisreceitas.com 

Camarão com abacaxi


Ingredientes

- 4 xícaras de arroz cozido na hora;
- 1 abacaxi;
- 500 ml de leite de coco;
- 1 lata de creme de leite;
- 500 g de camarão sem casca e sem cabeça;
- 1 colher (sopa) de óleo de milho;
- 1 cebola;
- Alho a gosto;
- Temperos, salsa e cebolinha a gosto;
- 100 g de queijo provolone ou catupiry;
- Sal e pimenta a gosto.

Modo de Preparo

- 1. Cortar o abacaxi ao comprimento;
- 2. Retirar o miolo do abacaxi colocar em uma forma aberto as 2 partes;
- 3. Fazer o arroz normalmente com alho e cebola;
- 4. Fritar o camarão temperado com alho no óleo, colocar cebola e fazer um molho gostoso, reservar;
- 5. Depois do molho pronto colocar salsinha e cebolinha, fora do fogo;
- 6. Misturar o creme de leite e o leite de coco ao arroz e o catupiry ou provolone;
- 7. Colocar dentro do abacaxi e salpicar com parmesão;
- 8. Levar ao forno 20 a 30 minutos.

Fonte: http://www.tudogostoso.com.br

Viagem cancelada - por Socorro Moreira



Meu horóscopo bem que avisou... Vénus lhe fará fazer compras por impulsividade. 
Veramente não tenho compulsões de consumo. Desconsiderei !
Esta semana, na madrugada, pesquisando passagens aéreas, comprei ida e volta para o Rio, com acompanhante.
Ainda liguei para o meu velho hotel , na Cinelândia, reservando hospedagem. Uma alegria  tomou conta de mim. Acabara de fazer uma arte !
Na manha daquele dia contei para o Victor a boa nova: vamos passar uma semana no Rio !
Ele respondeu gravemente :
Você não perguntou se eu desejo ir. Pois eu não vou ! 
Aquele entusiasmo, num passe de mágica, se escondeu, e deu lugar a um sensato desengano. E agora ? Ainda não negociei o cancelamento, nem pedi reembolso, mas com certeza cancelei meu sonho de consumo. Pensando bem, renuncio ,de bom grado,  rever o Corcovado, e assistir a todas,ou  algumas peças em cartaz; dar uma voltinha no shopping da Barra, comprar umas blusinhas, com preços em liquidação; tomar um chope no Amarelinho, provavelmente nem faria a minha cabeça... Mas, e um doce na confeitaria Colombo?
Uma visita rápida  a Nova Friburgo, e ainda almoçaria no hotel da Dona Mariquinha. Traria um licor de souvenir, e compraria uma  lingerie.
Tudo isso já foi feito. Refazer um programa pode ser interessante  mas é dispensável. 
A grana vai pra poupança, esperar uma emergência diária. 
Ultimamente só conheço e reconheço o mundo, através do cinema. Paris, Itália, NY...Um medo esquisito de encarar muito tempo de voo até Lisboa. Visitar minha mana  fica fora de pauta, pelo menos por enquanto.
Victor está de férias !
Prefere relaxar , diante da TV, e tomar seus sucos  na praça da Sé, quando o dia entardece. Tá certo !
Eu estou morrendo de vontade de fazer algo diferente, e acabo entrando num mundo irreal, pra  na volta analisar o que está por perto.
Deus, estou encomendando um jardim ! Pode ser um único canteiro...Mas quero um pé de jasmim !
A gente viaja pra encontrar os afins. Eles estão perto de mim.
Desejo a todos ,  um excelente último dia de setembro !
Hoje convidei minhas irmãs Zélia e Catarina  para o almoço. Vou caprichar, no Camarão à Thermidor. Vinho branco para acompanhar... Lógico !

Dias decisivos - Por José de Arimatéa dos Santos

É muito importante para nossas vidas avaliar nossos candidatos e ver que decisão que temos que tomar. Por isso é necessária uma parada no que estamos fazendo e analisar friamente nossos candidatos em todos níveis. Se você vai contratar uma pessoa para trabalhar junto com você, em sua casa ou sua empresa, a análise das qualidades dessa pessoa é muito importante para você. Não é? Então, na vida política cada eleitor deve fazer o mesmo. Analisar a vida pregressa dos candidatos e o mais importante que sejam honestos e tenham projetos coerentes com o seu pensamento. Não podemos de jeito nenhum errar. Por que esse erro demanda quatro anos de desmandos de toda natureza.
Vivemos momentos importantes para toda a nação, pois apartir de domingo novos rumos o Brasil tomará e dependendo da eleição de cidadãos com programas e projetos de desenvolvimento para o Brasil, tudo se encaminhará para um futuro bem melhor do que o que vivemos nesse momento. Na hora da votação devemos pensar nos nossos filhos. Pensar na educação, saúde, meio ambiente, segurança e emprego com salários dignos para todos os brasileiros. Pensar em quem defende projetos de diminuição ou o fim da grande desigualdade social ora presente. E eleger gente com vergonha na cara que não roube e nem deixe roubar.
O Brasil se encontra num patamar privilegiado no mundo. É o país do presente e o futuro bem promissor. Eu sou um sonhador e como tal cheio de esperança de um país bem melhor para todos nós. Potencial temos e de sobra. É só transferir o pensamento positivo de nós desportistas brasileiros e meio caminho já foi andado. Portanto, a terra dos brasileiros tem tudo para ser melhor. Resta-nos escolher quem nos representa realmente nas casas legislativas e nos governos. Estamos numa decisão e como tal cada minuto que passa é precioso para as nossas escolhas.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

COMPOSITORES DO BRASIL


“E eu, pra não morrer de tristeza
me sento na mesma mesa
mesmo sabendo quem és...”
(Pra não morrer de tristeza)

JOÃO SILVA


Por Zé Nilton

“João Silva nasceu em Arcoverde. Aos sete anos já tocava pandeiro e cantava em rádios no Recife. Aos quinze, por dores do mal d’amor, foi para o Rio de Janeiro tentar a fama. para um dia voltar e dizer à Iracema; “Tá vendo o que perdeu ?”. E voltou. Foi á sua casa. Ela veio, ficou na porta, ele falou-lhe: “Tá vendo o que você perdeu?” Calada estava, calada ela ficou. Mestre João me falou que lhe veio um nó angustial nos “grugumilhos”. Passado um tempo, Iracema balbuciou: “Vou ali beber água.” Não mais voltou. Naquele fatal momento nasceu: “ ... “Bebeu água foi simbora / nem se despediu de mim.”

Este é o Mestre João Leocádio da Silva. O mais profícuo, fiel e leal parceiro de Luiz Gonzaga. Nos idos de 1988, Gonzaga ia fazer um show no Canecão. Um crítico “alma sebosa”, do Rio de Janeiro, escreveu no jornal que aquela música de paraibas ia conspurcar o templo sagrado do samba. Gonzagão se “arretou”: “João, vamos dar uma pisa nesse “fela”. João retrucou: “Não, Gonzaga, vamos fazer isso com música”!. Seu Luiz não titubeou. Chamou o grande Geraldo Azevedo e, no LP “Ai Tem”, ambos cantaram “Taqui Pá Tu”, onde os dois craques “dixeram de um tudo” contra aquele beócio. No final da canção Gonzaga fala: “...Sabe, Geraldinho, o que esse cabra é, ele é um fela...”

Eis um tantinho de João Silva, que mostro aos caros leitores. Aos setenta anos, vivendo em Aracaju, ainda produzindo bem, um pouco magoado com Pernambuco, João Silva compôs, para Seu Luiz , desde 1964 (LP Sanfona do Povo, Não Foi Surpresa, de João Silva e João do Vale) até 1989 (onde canta com Gonzaga, no LP Alvorada Nordestina, da autoria dos dois, Vamos Chegando), sem esquecer de “Vou Te Matar de Cheiro”, no LP do mesmo nome, composta pelos parceiros e em homenagem à Edelzuita, último amor do Rei. No show final e inesquecível de Gonzagão, no Teatro Guararapes, sempre a segunda parte de cada música era cantada por João, a pedido de Lua, cujas forças estavam se exaurindo.

Não existe na Música Popular Nordestina e talvez na MPB, quem tenha maior quantidade de músicas gravadas por diversos artistas (mais de duas mil), do que Mestre João. Vejamos alguns: Gérson Filho, Severino Januário, Zé Gonzaga, Chiquinha Gonzaga, Joquinha Gonzaga, Ary Lobo, Marinês e Abdias, Dominguinhos, Joãozinho do Exú, Quininho de Valente, Novinho da Paraíba, Pinto do Acordeon, Cremilda, Elba Ramalho, Cirano, Trio Nordestino, Alcione, Beth Carvalho, Flávio Leandro, Flávio José, Genival Lacerda, Núbia Lafayette, Ney Matogrosso.

Aliás, para compor, João é multifacetado. O hino da boemia nordestina, sem dúvida, é Pra Não Morrer de Tristeza, supra sumo do samba de latada, que Mestre João chama “samba apracatado”. Mas ele compõe, além de todo tipo de forró, merengue, bolero, guarânia, lamento, toada, carimbó, como se pode ver no Lp “Mixto Quente”, que ele gravou em 1979.

Um grupo de pessoas, que amam a música nordestina, em parceria, chamaram Mestre João Silva, para resgatar-lhe vida e obra. Quando aceitou, João citou versos de Nélson Cavaquinho, sambista como ele: “... Quem quiser fazer por mim / que faça agora...” O projeto chama-se MESTRE JOÃO SILVA - PRA NÃO MORRER DE TRISTEZA - O MAIOR PARCEIRO DE LUIZ GONZAGA. Na tarefa estão engajados este escriba que vos fala, Roberta Jansen, Rinaldo Ferraz, Herbert Lucena, a gravadora A FÁBRICA, Mávio Holanda, Jr. do Bode e esperamos a necessária ajuda das autoridades culturais. Certamente contaremos com o apoio desta Folha de Pernambuco, para lançar luz sobre o mais popular compositor pernambucano vivo.

Pra finalizar, só mesmo trazendo, aqui, a letra de “Flor de Croatá’, de Mestre João, que o grande Flávio José considera como a música que ele mais gosta de cantar: “ Vou bater porta /Pra quem abusou de mim /Esse meu rosto triste /Não nasceu assim /Era bonito que nem flor / De Croatá/ E então zangado/ Era danado pra cheirar/ Tinha alegria /Que jorrava noite e dia / Mas se excedeu / Pra um tal malvado/ De um amor/ Que não deu gosto/ Só deu desgosto/ E tudo em fim/ Foi até bom/ Que me ensinou a ser ruim.”

Texto de José Maria Almeida Marques, poeta pernambucano. Transcrito de http://www.enciclopedianordeste.com.br/nova339.phpda

Nesta quinta um pouquinho da obra desse mestre da Música Popular Brasileira no Programa Radiofônico Compositores do Brasil.
Quem ouvir verá!

Na sequência:

DANÇADOR RUIM, de João Silva e Zé Mocó com Dominguinhos e Luiz Gonzaga
ESTOU ROENDO SIM, de João Silva e Anatalicio com Trio Nordestino
DEIXA A TANGA VOAR, de João Silva e Luiz Gonzaga com Luiz Gonzaga
DE FI A PAVI, de (João Silva e Oseinha com Virgilio
AMIGO VELHO TOCADOR, de João Silva Zé Mocó com Marinês
DANADO DE BOM, de João Silva e Luiz Gonzaga com Luiz Caldas
TOQUE SANFONEIRO, de João Silva com João Silva
CORAÇÃO MALUVIDO, de João Silva e Pedro Maranguape, com Ary Lobo
PRA NÃO MORRER DE TRISTEZA, de João Silva, com Ney Matogrosso
VIVA MEU PADIM, de João Silva e Luiz Gonzaga com Luiz Gonzaga e & Benito di Paula
PAGODE RUSSO, de João Silva e Luiz Gonzaga com Zeca Baleiro

COMPOSITORES DO BRASIL
Rádio Educadora do Cariri -1020
www.radioeducadoradocariri.com
Acesse pelo www.blogdocrato.com
Quintas-feiras, de 14 às 15 horas
Pesquisa, Produção e Apresentação de Zé Nilton
---
Pesquisa // INTENÇÕES DE VOTO
CNT/Sensus: Dilma tem 47,5% dos votos e Serra, 25,6%
Publicado em 29.09.2010, às 11h09

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, tem 47,5% da preferência do eleitorado, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta manhã. O candidato do PSDB, José Serra, aparece em segundo lugar, com 25,6%, e Marina Silva, do PV, tem 11,6%.

» LEIA MAIS
CNI/Ibope mostra Dilma com 50% e Serra com 27%

CNI/Ibope: em 2º turno, Dilma teria 55% e Serra, 32%

Dilma perdeu 3 pontos porcentuais em relação à pesquisa anterior quando aparecia com 50,5%, enquanto Serra caiu 0,8 ponto, ante os 26,4% do levantamento anterior, feito entre os dias 10 e 12 deste mês. Marina Silva subiu 2,7 pontos porcentuais, passando de 8,9% para os atuais 11,6%. Com isso a diferença entre Dilma e Serra caiu 2,2 pontos porcentuais entre a pesquisa anterior e a anunciada hoje.

Considerando apenas os votos válidos (ou seja, excluindo brancos e nulos e distribuindo os indecisos proporcionalmente), Dilma teria hoje 54,7% da preferência e venceria a disputa no primeiro turno, que será disputado no próximo domingo. Serra tem 29,5% dos votos válidos. Marina Silva tem 13,3% dos votos válidos.

Em um eventual segundo turno, Dilma venceria com 53,9% da preferência, ante 34,5% de Serra. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 55,5% e Serra 32,9% na simulação. A pesquisa da CNT/Sensus foi feita entre os dias 26 e 28 de setembro e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 33.103/2010. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos porcentuais. Foram entrevistadas 2 mil pessoas em 136 municípios.

Fonte: Agência Estado
CNI/Ibope mostra Dilma com 50% e Serra com 27%
Publicado em 29.09.2010, às 10h30

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, recebeu 50% das intenções de voto na pesquisa estimulada feita pela CNI/Ibope, divulgada nesta quarta-feira (29), sinalizando uma vitória já no primeiro turno das eleições. Em junho, Dilma tinha 38% das intenções de voto. Já o candidato José Serra (PSDB) caiu no período, passando de 32% para 27% das intenções de voto.

A candidata do PV, Marina Silva, subiu de 7% para 13% na preferência do eleitorado, entre junho e setembro. Os outros candidatos receberam 1% da intenção de votos ante 2% da pesquisa realizada em junho. Brancos e nulos somaram 4%, sendo que, na pesquisa passada, estavam em 6%. Um total de 4% das pessoas entrevistadas não souberam ou não responderam à pesquisa.

A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos. A pesquisa, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 33162/2010, foi realizada entre os dias 25 e 27 deste mês com 3.010 pessoas em 191 municípios. Os outros dados da pesquisa, como a avaliação do desempenho da administração federal, serão divulgados somente amanhã.

PROBABILIDADES - Segundo a pesquisa CNI/Ibope, Dilma tem 67% de probabilidade máxima de votos. Isso significa que somados os votos dos entrevistados que votarão nela com os que poderiam votar, ela poderia ter 67 pontos na eleição. Em junho, última vez que a CNI/Ibope fez essa pesquisa, a probabilidade de voto nela era de 63%.

Marina Silva tem 58% das possibilidades de voto, somados os que garantem voto nela com os que poderiam votar. Em junho, a candidata verde tinha 43%. Presidenciável do PSDB, José Serra, em contrapartida, perdeu pontos no índice de probabilidade de votos. São 59% os que votam ou poderiam votar nele, segunda esta edição da pesquisa, contra 62% em junho.

O índice de rejeição de Dilma Rousseff subiu de 23% para 27%, e o de José Serra de 30% para 34%. Marina Silva foi a única que teve redução no índice de rejeição, passando de 29% para 28%.

Outro item da pesquisa revela que é bem próximo o número de eleitores que levam em conta o apoio do presidente Lula na hora de escolher o voto em relação aos que não consideram. Enquanto 47% responderam que votarão num candidato indicado por Lula, outros 41% disseram que isto não será considerado na hora de escolher o candidato. Apenas 8% indicaram voto em um candidato que faça oposição a Lula, e 4% não souberam responder.

Fonte: Agência Estado

José Luiz Calazans- por Norma Hauer

Quem seria esse com um nome tão pomposo?
Ele nasceu em 29 de setembro de 1896, na cidade de Maceió, em Alagoas.
Escolheu um nome simples, mas assustador: JARARACA e com tal nome ficou conhecido no meio ártístico nacional.

Ainda em sua cidade, conheceu, em 1919, aquele que se tornou seu parceiro em músicas e apresentações musicais: Severino Rangel de Carvalho (o Ratinho). Iniciando suas apresentações em sua terra natal veio para o Rio de Janeiro com o conjunto "Tribunas de Pernambuco", que aqui se dissolveu mas a dupla continuou sua carreira até o falecimento de Ratinho, em 1972.

Era uma dupla caipira, com todas as características do interior, bem diferentes das atuais, que são "country", ou seja, nada têm de brasileiras, principalmente do interior.

Após a morte de Ratinho, JARARACA tentou outras duplas, mas não conseguiu sobressair-se no meio das mudanças que, a partir dos anos 60, passou a dominar novos ritmos e os ídolos até então conhecidos, foram dando lugares a outros que começaram a surgir.

Dos sucessos da dupla, lembro-me bem de "Espingarda, pá, pá, pá, pá...Faca de ponta, tá, tá, tá,..." Mas seu maior êxito, até hoje cantado no carnaval, foi uma parceria que fez com Vicente Paiva:"Mamãe eu Quero", o maior sucesso do carnaval de 1937. Na abertura, a voz de Almirante fazendo um "diálogo" diz:
"-Mamãe eu quero,
-Quer o que meu filho?
-Mamãe eu quero mamar."

A partir daí tem início a parte cantada por JARARACA.
Por ocasião das primeiras eleições para a Câmara dos Vereadores, após a queda de Getúlio Vargas, JARARACA, com seu nome verdadeiro, candidatou-se a vereador pelo Partido Comunista do Brasil, então na legalidade.
Não me recordo se chegou a ser eleito; sei que depois abandonou a política e voltou a ser o JARARACA, com seu parceiro Ratinho, até 1972.

JARARACA faleceu em 11 de outubro de 1977, aos 81 anos.

Norma

Colaboração de Caio Bonates


Considerações da Psicóloga Sandra Mussi, presidente do Conselho Espírita Canadense sobre o Filme Nosso lar

Sobre o filme Viajando com Nosso Lar
Como a gente diz por aqui, WOW!!!!!
Tive a grande honra e prazer de assistir ao filme "Nosso Lar" que será estreado em Setembro/2010.
Minha viagem ontem ao assistir o filme foi espetacular. Quantas lições!!!
Eu fiquei encantada em como pude me perceber nos personagens podendo assim experienciar emoções e valores tão engenhosamente criados na tela.
Com a ajuda de André Luiz e desta produção espetacular, caminhei na minha própria estrada de encontro ao "Meu Lar" e ao "Meu Umbral".
Como Psicóloga e constante estudante da alma, a busca dessa viagem interior é minha mola motivadora no caminho do auto-conhecimento.
Para aqueles que já leram o livro e conhecem sua mensagem de tolerância e amor, o filme traz imagens inesquecíveis que materializam nossa imaginação, enriquecem nossa apreciação pelas mensagens trazidas a nós por André Luiz. Quem não conhece a obra será presenteado com uma narrativa clara, que sutilmente ensina os fundamentos da mensagem Espirita através da jornada de um espirito.
A representação visual contrastante entre o umbral e o Nosso Lar coloca em grande perspectiva a nossa dualidade espiritual, mental e emocional. Essa realidade interna do equilíbrio e desequilíbrio, entre o amor e o ódio, entre a paz e a guerra tão bem representada pelo ator Renato Prieto, nos faz reconhecer o nosso atual estado evolutivo, nossas fragilidades e limitações. Escolher ver a "normalidade" das nossas imperfeições de condição humana em busca da luz é aceitar de forma natural nosso crescimento.
O filme Nosso Lar, me proporcionou o encontro com essa realidade e me fez refletir onde estou e para onde quero ir.
Estar aberta para essa escolha é uma fonte energizadora de liberdade e de exercício em busca da felicidade e realização pessoal.
As cenas do hospital da colônia Nosso Lar nos traz a tranquilidade interna do silêncio, expulsa os barulhos da mente para que a quietude interna proporcione o ambiente necessário ao encontro com nossa essência e a fonte das leis divinas. Mais uma vez, o filme nos leva a refletir no poder do silêncio. A "água medicamentosa" foi o agente desse processo.
A trilha sonora composta pelo gênio da música considerado um dos compositores mais influentes do século 20, Philip Glass, constantemente nos convida a tecer suaves cordas vibracionais do nosso intimo com a arte divina.
Nas cenas musicais do filme uma nova oportunidade de experienciar a harmonia, fazendo-nos mergulhar em sensações de alegria, quietude e união.
O filme nos traz uma mensagem de otimismo e esperança. As emoções vivenciadas pelos atores traz ao telespectador sentimentos verdadeiros e sinceros, fazendo com que o filme seja uma conexão constante.
Morando no exterior a mais de 20 anos, "viajei" com Andre Luiz - O retorno dele ao Lar na Terra, é muitas vezes meu retorno a Pátria querida. Cenas tão emocionantes que me instigaram ao exercício do desapego. Como André Luiz, ao não aceitarmos as mudanças da nossa realidade perdemos a conexão interna.
Ao nos desapegarmos deixamos de viver a ansiedade da separação e assim nos abrimos para a conexão maior, a do entendimento que somos todos ligados uns aos outros, somos UM SÓ através do AMOR!
A doutrina da reencarnação faz com que possamos exercitar a fraternidade, estender nossas afeições além dos laços do sangue, nos laços imperecíveis do Espírito.
Acredito que o cinema brasileiro enriqueceu com a grande direção de Wagner Assis que se estabeleceu como um grande "médium" das belezas eternas.
Com certeza esse é um filme para se assistir muitas vezes. Estarei levando meus filhos e meus amigos e recomendando a todos aqueles que buscam a paz e o encontro com o Divino.
Obrigada Wagner e a toda a equipe que me proporcionaram essa viagem tão bonita!
Obrigada André Luiz! Obrigada Chico!

Sandra Mussi
Psicóloga e Psicoterapeuta
Presidente Conselho Espirita Canadense


Pensamento de Francisco de Assis: " un solo raggio di sole e' sufficiente per cancellare milioni d'ombre"

Trad. "É suficiente um unico raio de sol para apagar milhões de sombras"




O poder da gentileza - Emerson Monteiro

Educação cabe em qualquer lugar, eis uma frase típica da época quando se buscava qualidade no tratamento dos grupos sociais. Como o passar do tempo, no entanto, os bons costumes perderam o charme. Agora poucos reconhecem o destaque dos relacionamentos respeitosos, vez que pela competição da sobrevivência, na corrida do ouro, cada um quase só pensa em si, o que virou a ideologia do comportamento moderno.
Ainda assim, ninguém fugirá da necessidade que o zelo honesto para com os outros impõe em termos de facilitar o relacionamento humano.
Alguns animais da floresta não podem se ver e já começam a trocar marradas, coices e mordidas. Outros, porém agem diferente. Querem aproximação alegre, cooperam nos trabalhos do grupo e reúnem os esforços para achar o alimento.
Quanto aos humanos, a depender das áreas e classes sociais, o jeito de participar da atividade grupal indica formas por vezes agressivas de comunicação. No esporte, certas modalidades são integrativas. Outras, autodestrutivas, violentas e prejudiciais.
Povos espalhados pelo mundo representam essas modalidades esportivas no próprio modo diário das relações sociais. Abrem espaço no convívio das pessoas através de gestos amáveis, tranquilos e agradáveis. Enquanto isso, existem povos de cunho guerreiro, dotados de atitudes imperialistas. Saqueiam as nações de influência, por motivos torpes, justificativas desencontradas e inexplicáveis.
Contudo, jamais haverá meios perversos que superem o valor da gentileza para como os demais seres.
As civilizações tradicionais e resistentes desenvolvem métodos moderados para com seus próximos, exemplos de paz e harmonia que lhes permitiram a continuidade evolutiva no decorrer da história. Os japoneses bem demonstram essa maneira cordial no trato com os semelhantes. Raça milenar, atravessa os séculos dando demonstração de inteligência social a toda prova, ainda que cruzassem períodos difíceis de perseguição e guerra.
Esse estilo de reagir diante dos obstáculos e atritos comunitários produziu, inclusive, as suas artes marciais, avançadas escolas de vencer o instinto e torná-lo instrumento de pesquisa da personalidade, no aprimoramento da consciência individual e comunitária.
A todos nós caberá, portanto, desenvolver meios de coexistir entre os tantos impulsos da competitividade, nos espaços estreitos da vida humana, apresentando gestos de amizade como resposta às hostilidades coletivas, norma prudente de aplicação da melhor sabedoria.

Trinca Problemática

 

1.À medida que
X
Na medida em que

"À medida que" = "à proporção que"
"Na medida em que" = já foi considerada uma adulteração da locução "á medida que"
O fato é que seu sentido nem sempre é claro. Pior do que essa, porque ainda rejeitada por muitos e considerada incorreta por alguns, é a locução:

à medida em que = cruzamento de gosto duvidoso.

Quem não quiser ter problemas em textos que exigem correção rigorosa, fará bem em evitar as duas últimas variantes.

"À medida que ele envelhece, torna-se mais sábio."

"Os brasileiros perdem o medo da gripe porcina à porporção que o inverno termina."

" Na medida em que " às vezes indica proporcionalidade, às vezes causa:

" Na medida em que o sol se põe, as sombras crescem."

 2. "Ao invés de"
 X
" Em vez de"


"Ao invés de" = "ao revés de", " ao contrário de"

"Em vez de" = "em lugar de"

3. "Haja vista que"

 A expressão não varia, mesmo que seja seguida de outras expressãoes no plural. Assim, as variações como "hajam vista" ou "haja visto" são consideradas incorretas.

"Delegados recebem a notícia com surpresa, haja vista que um policial com esta experiência poderia prestar serviços por mais 10 anos". (Jornal da Tarde, Salvador, 16/07/1992)


BAILA COMIGO - Festa temática


E enfim estamos fazendo a festa que mais gostaríamos de fazer. O projeto "BAILA COMIGO" está iniciando-se muito ao gosto de pessoas que sofrem por um espaço para o seu entretenimento. Para a realização da festa, a produtora Sertão Pop, em parceria com a OK Produções, Mônica Vitoriano Produções e o Crato Tênis Clube, uniram-se com um único propósito: o de proporcionar a alegria, o encontro, o saudosismo e o encantamento da boa festa, da boa música e de tudo o que envolve nesse momento de descontração e de revitalização da curtição. Aliás, curtição, um termo muito usado por quem já tem acima de 30 anos, e é o que não vai faltar na festa. Pretendemos inicialmente fazer um evento que tenha a nossa cara, com bandas locais e dentro do espaço mais tradicional do Cariri, o majestoso Crato Tênis Clube. O nosso desejo é continuar e intensificar essa parceria, e nas próximas edições, quem sabe, mesclar os nossos artistas com outras bandas do Brasil, que se identifiquem com a nossa proposta. Somos muito gratos aos nossos importantíssimos patrocinadores que sentem junto conosco a necessidade de acontecerem eventos de valorização da boa música, do bom convívio entre as pessoas e de proporcionar espaços e festas de alto nível na nossa região. A preservação da nossa história, música, moda, gírias, modo de conviver, dança, etc, será o grande diferencial da festa "BAILA COMIGO". Será através desse evento que, para as outras edições, pretendemos nos inspirar na constante busca de melhorar e de tornar a festa tão tradicional quanto são o já conhecido "CARNAVAL DA SAUDADE", o baile do "PRETO E BRANCO", em Juazeiro do Norte, e tantas outras festas que tínhamos por aqui. O "BAILA COMIGO" é um evento de fantasia, momento para extravasar as nossas alegrias e ao mesmo tempo de mostrar que temos sim como fazer acontecer eventos que não sejam como a mídia atual quer. Sabemos o que é bom, sabemos apreciar o belo e somos da paz, da alegria e gostamos de viver bem.
Assim, convidamos às pessoas que querem viver esses momentos, a chegar junto com todos da produção, do Crato Tênis Clube e principalmente valorizando os nossos patrocinadores que são realmente os verdadeiros mantenedores da nossa alegria. Venha, traga sua fantasia e energia. Venha com trajes de época (não obrigatório), assim certamente a festa será mais bonita.
Queremos agradecer, de coração às seguintes empresas: (e aos seus proprietários, claro)
- CITROEN - do nosso companheiro Junior.
- G7 CONSTRUÇÕES - do prezado empresário Guedes.
- ACPP - do nosso amigo Josean
- CANUTO IMÓVEIS - de Juazeiro, agradecendo ao amigo Fagner Canuto
- CARTÓRIO DO 5º OFÍCIO, do incansável amigo Teófilo.
- CARIRI MOTOS - nossa querida companheira Alciony
- LABORATÓRIO PAULO CARTAXO do estimado André Barreto
- DROGARIA CARIRI E CARIRI MEDICAMENTOS - dos grandes empresários Freire e Socorrinha
- PROGRAMA MULTIMÍDIA do prestigiado Marcelo Fraga
- SORVETERIA BAKANAS do casal bacana Candice e Fábio
- CP PNEUS do parceiro Ramon
- LOJA PEGADAS do empresário Beto Coelho
- PREFEITURA MUNICIPAL DO CRATO, com o Prefeito Samuel Araripe sempre nos apoiando
- SESC CRATO - na pessoa fantástica que é a Carla Vanessa.
- CRATO TÊNIS CLUBE - obrigado ao companheiro Danja, sempre parceiro das nossas produtoras.

Hoje é dia de nhoque !


Ingredientes
1 kg e meio de mandioca cozida e amassada
- 2 ovos
- sal a gosto
- 2 a 3 colheres (sopa) de farinha de trigo

- 300 g de mussarela cortada em cubos médios

Para o Molho :
- 1 colher (sopa) de manteiga
- 1 cebola picada
- 1 dente de alho picado
- ervas picadas a gosto (sálvia e tomilho)
- 2 tomates cortados em cubinhos e sem semente
- 1 xícara (chá) de caldo de frango (1
tablete de caldo de
frango dissolvido em 1 xícara de chá de água)
- 520 g de molho de tomate

- 500 g de peito de frango cozido e desfiado

Para regar:
- 1 copo de requeijão cremoso
- salsinha bem picadinha para polvilhar
- sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo
- Numa tigela misture muito bem a mandioca cozida e amassada, os ovos e sal a gosto. Incorpore de 2 a 3 colheres (sopa) de farinha de trigo amassando com as mãos até que a massa desprenda das mãos.

2- Com a massa faça bolinhas grandes (+/-30 g do tamanho de uma bolinha de ping-pong).

3- Recheie cada bolinha com um cubo de queijo mussarela e vá arrumando numa travessa. Faça isso com toda a massa. Reserve.

4- Numa panela em fogo médio coloque a manteiga e refogue a cebola picada, o dente de alho picado
ervas picadas a gosto (sálvia e tomilho) por uns 5 minutos. Acrescente os tomates cortados em cubinhos e sem sementes e refogue por mais 3 minutos. Junte o de caldo de frango (1 tablete de caldo de frango
dissolvido em 1 xícara de chá de água), o molho de tomate pronto (1 caixinha) e o peito de frango cozido e desfiado. Adicione sal e pimenta-do-reino a gosto e cozinhe por mais 5 minutos.

5- Depois jogue o molho de frango por cima dos inhocões de mandioca, espalhe o requeijão cremoso e polvilhe salsinha picada a gosto. Leve ao forno pré-aquecido a 250º C por 15 minutos para gratinar.

Cyber Cook.

MÃE - Por Marcos Barreto de Melo

Eu não sabia que doía tanto
Ter que viver esta separação
E por saber que é definitiva
Chora ainda mais a minha alma aflita

Por mil coisas que fizestes
Sem jamais medir esforços
Agradeço ao meu Deus
Por esta tão grande dádiva

Tudo o que fiz por você
Sei que pouco representa
Diante de tua grandeza
Agora sinto que foi pouco
O sacrifício, o esforço
Em tentar retribuir
Tudo aquilo que ganhei

Hoje resta a esperança
De tê-la em um outro plano
Gozando de paz e alegria
Vivendo na plenitude
De onde irá nos guiar
Pelos caminhos da terra

Ontem sonhei com você
Mas, você nada falou
Apenas olhou para mim
Derramando sua ternura
e num riso lindo, sem fim
Mansamente se afastou


Marcos Barreto de Melo

Números do dia - José Nilton Mariano Saraiva

CNI/IBOPE dá 5 pontos de vantagem no 1o turno
(29/09/10)
Dilma – 50% (estimulada) – 55% (votos válidos)
Serra – 27% (estimulada) – 30% (votos válidos)
Marina – 13% (estimulada) – 14% (votos válidos)
Outros – 1% (estimulada) – 1% (votos válidos)

SENSUS também não confirma Datafolha
(29/09/10)
Dilma – 47,5% (estimulada) – 55% (votos válidos)
Serra – 26,0% (estimulada) - 30% (votos válidos)
Marina – 12,0% (estimulada) – 13% (votos válidos)
Outros – 2,0% (estimulada) – 2% (votos válidos)

O amor está além ... - por Socorro Moreira



Além de tudo que eu quero
eu quero nada querer...
nem você !

A posse  escorre
fica na estrada
nas queimadas...
as emoções se dissolvem
ficam registros
irregulares
misturados
nem sempre identificados

Mas meu coração dispara
fica em alvoroço
apesar do controle...
diz impropérios
desabafa
esquece de declarar amor
embora tenha perdido a timidez ...
Com ela foi também a valentia
de amar cada vez mais
em cada dia.

Quem reencontrar
o que pensa que perdeu
deixe no quadro de aviso
Achei !

ESCREVA, ESCREVA, ESCREVA - por Stela Siebra Brito

Diário daquela que quer ser escritora
28 de maio de 2005

Não pense, vá escrevendo, depois, um dia, você arruma o texto, faz correções, apaga, risca, acrescenta, inventa outras coisas. Hoje não. Hoje é o começo. Vá em frente, confie, lance as primeiras palavras, frases, que sejam confusas, desorganizadas, sei lá o quê, mas escreva, escreva. Atabalhoadamente, que seja, mas escreva.
Foi isso que indicou o escritor Raimundo Carrero, tanto nas aulas como no livro, que comprei no lançamento, com direito a abraço, risada e autógrafo do autor. Que persona é Carrero! E por que não dizer que figura! Gosto dele; é despojado, simples, bem humorado, e sabe das coisas. Das coisas sobre escrever livros, sabe escrever livros.
Bom, mas não iniciei esse diário pra falar do escritor, apesar de que é um bom início, porque foi ele quem me instigou a escrever mesmo. Fico ouvindo a voz dele repetindo escreva, escreva, escreva todo dia, seja o que for e de que jeito for, mas escreva. Mesmo quando leio seus textos fico ouvindo a voz dele, é engraçado isso da gente reconhecer a voz do autor nos seus textos.
Como a palavra tem substância! Acho que não era assim que eu queria dizer, o que estou pensando é sobre as marcas individuais de cada um de nós, nosso DNA, presentes em tudo que vem de nós. Seria isso um mistério? Não, mistério não, hoje os cientistas explicam tudo, ou quase tudo.
Quando estou caminhando na beira mar me vem tanta idéia, as palavras vão se arrumando, formando frases, textos. Caminhando eu sou um ser muito mais pensante, fico mais leve, confiante. É, tenho que bater muita perna por aí, ajuda a ... ora, a pensar, idealizar, projetar, agora realizar não ajuda não. Cadê a ação? Meu problema é agir, problema não, dificuldade. E disciplina, e deixa-me ver o quê mais... sim, começo uma coisa no maior entusiasmo, aí passo uns dias vou me esquecendo, deixando de fazer, é o velho problema de objetivar o que se quer, o que quero; coloca o verbo se referindo a você mesma Stela, não indefina ou generalize suas dificuldades. Tá bom, querido fiscal dentro de mim, vou falar pra mim mesma: Stela, deixa de ser desleixada (isso parece coisa de mãe) e trate de priorizar os seus objetivos de vida. Sabe que tô gostando de você fiscalzinho? Vou te dar até um nome, que tal, ah não me ocorre nenhum nome agora e não quero parar agora, depois vejo isso. Bem meu esse comportamento, deixa pra depois, agora não dá tempo, tem outras coisas pra fazer, aliás, o tempo é um problema pra mim.
Vem cá menina, eu pensei que tu ia fazer um diário de escritora para registrar contos, crônicas, poesias, mas isso aí tá parecendo aquele negócio de “querido diário, hoje...”
Cá pra nós eu também tô achando, vou tentar mudar o rumo da conversa.
Ah, mas sabe de uma coisa, é assim mesmo que começa, deve ser, e o computador é um ótimo aliado para isso, fácil de usar, fácil de deletar, bom demais. E agora não dá mais pra escrever. Fui.......

À tarde: já inventei um nome para o meu fiscal, vai se chamar Estrela.
Acho que será proveitoso se eu tentar escrever alguma reflexão, ou pelo menos um resumo, da leitura do livro Os segredos da ficção. Vamos dona Stela.
Já na Introdução, Carrero sugere que se obedeça à Voz Narrativa e ao Impulso - aí devemos escrever, escrever e escrever sem preocupação com o resultado, buscando descobrir, apenas, a voz narrativa que existe em cada um de nós. Depois vem a Intuição, indicando os defeitos a serem superados e no terceiro momento, a Técnica.


Tá vendo, né Estrela, que é difícil fazer isso. Pois é, então leia mais, leia com atenção e reflita depois de cada frase, deixe de pressa sua engolidora de palavras, isso no sentido de procurar entender. Você sabe que tem essa dificuldade de interpretar o entendimento que você tem do texto, por isso cuide de mudar.
É, eu sei como é isso, não quero perder tempo, quero ler logo, terminar e aí perco mais tempo porque tenho que reler várias e várias vezes, isso se prestar atenção direitinho
Bom, vou voltar para a leitura do livro. De qualquer jeito escrevi uma página até agora.