Criadores & Criaturas



"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
"

(Carlos Drummond de Andrade)

ENVIE SUA FOTO E COLABORE COM O CARIRICATURAS



... Por do Sol em Serra Verde ...
Colaboração:Claude Bloc


FOTO DA SEMANA - CARIRICATURAS

Para participar, envie suas fotos para o e-mail:. e.
.....................
claude_bloc@hotmail.com

domingo, 9 de janeiro de 2011

SE AQUELE FUSCA FALASSE - Por Edilma Rocha

Ele chegou nas mãos do Ernesto através de uma grana ganha como prêmio da corrida ciclista "Piocerá". Fusca 1980, branco que mais parecia côr de burro fugido de tanta sujeira. Todo descascado e cheio de rachaduras na pintura, aqui e ali ocorreu um crakelê com descamação que para cobrir a lataria, muitos adesivos do torneio "6 horas de Mountain Bike". A porta do motorista só abria por fora, a alavanca da marcha parecia uma cobra embriagada sem saber onde parar, 1ª, 2ª, 3ª, 4ª ou ré. Quem sabia ? Os bancos detonados pelo calor do sol, mas de couro, um bagaço, o piso mais parecia uma cocada baiana soltando lascas de ferrugem a qualquer contato. O revestimento do teto estava bom e o painel funcionando todas as indicações, mas a direção ficava grudando os pedaços  na nossa mão. Tudo original ! Por incrível que pareça, todo durinho e aprumado. De bom mesmo só 4 pneus "Michelym", novinhos. Esta "Pereba" passou 5 anos na garagem exposto a sol e chuva por causa do gerador que comeu 3 baterias zero. Como Ernesto não tinha grana sobrando, abandonou o coitado.
Em 2010 apareceu um maluco disposto a comprar o fusca 1980 para uma reforma total, Celso. Acho que até passará a fazer parte do " Clube do Fusca" em Fortaleza. Dois mil reais foi o preço acertado pelo negócio, mas teria que passar uns dias antes da viagem na oficina do Valdemar para uma rápida revisão no translado do Crato para Fortaleza. Foram feitos uns arranjos, bateria nova e o fusca funcionou.
- Imaginem quem foi a navegadora da corrida maluca?
- Eu, euzinha mesma!
Dia 2 de Janeiro de 2011 às 9:30hs saímos pela Vilalta para pegar a estrada do "Algodão" até o nosso destino. Bagagem até o teto, incluindo: ventilador, lanche, refrigerante, comida de cachorro e o próprio no meio da "fusaca". Tínhamos tudo a bordo, menos: estepe, chave de rodas, macaco e qualquer ferramenta. Foi colocado 20 reais de gasolina para testar algum possível vazamento no tanque e bem sentados na frente Celso e eu amarrados por um só nó pois os cintos não tinham mais as fivelas de segurança. Documento certinho, transferido em Dezembro por ocasião da compra, IPVA em dia, vamos nós e que Deus nos proteja.
Por segurança estávamos escoltados pelo meu filho Pedro Julio com a turma jovem a bordo da "Eco Sport 2010". O "Pereba" corria aos  80 e nem sentia a trepidação da estrada sem asfalto da "Ponta da Serra" até "Dom Quintino". A poeira era enorme e se fechasemos os vidros não suportávamos o calor e se abrisse comia pó e cabelo ao mesmo tempo. Era o jeito seguir fechado mesmo.
De repente um alarme.
- Depressa Edilma, se baixa aí e tenta soltar o cabo do acelerador que emperrou e a ladeira abaixo é grande !
Meu coração cheio de pavor  e eu enfiada nos pedais tentando soltar o cabo acelerador...
- Pronto consegui, ufa ! Foi por pouco !
Ao olhar pelo retrovisor vi os faróis e lanternas da "Eco Sport" dando sinal para  encostar... O que será agora ?  Era para avisar que se continuasse a cair mais pedaços como os da descarga e para-lamas pelo caminho, ia chegar em Fortaleza apenas o chassis, o câmbio e os quatro pneus, pois o para-choques traseiro estava se arrastando já fazia um tempo.
Paramos o "Pereba" e não tínhamos nada para prender o para-choques, nem uma cordinha, nem um arame, nada... Celso rapidamente tirou o cinturão das calças e deu várias voltas até conseguir prender a fivela, e tome estrada de novo... O ponteiro do combustível já dava sinal que era hora de reabastecer e paramos em Iguatú.
- Encha o tanque, é gasolina aditivada. Aqui está a chave!
E no outro carro Pedro Julio recomendou:
- Encha o tanque, é gasolina comum e aquele cara do "Fusca" ali paga a nota.
E saiu para a lanchonete e a moça frentista deu uma risada pensando ser uma piada pois o motorista do "Fusca" depois de se deitar na estrada de barro para o conserto estava um lixo.
Carro abastecido, tanque cheio e vamos nós outra vez. O cheiro forte de gasolina embrulhou o meu estômago e o faro do cachorro o deixou inquieto. O que será agora ? Ora, um carro que fazia tanto tempo que não via tanto combustível azul no seu tanque, vazava por cima dos meus pés e  escorria pelo piso. Agora não tinha jeito, era consumir para acabar o vazamento. Nariz entupido com "Vick Vaporub" e a cara coberta com a minha toalha, fazer o que ? Eu cheirava  a gasolina da cabeça aos pés que se tivesse alguém por perto dando umas baforadas de fumaça acho que explodiria.
Por onde passava a "Pereba" chamava à atenção. O carro mais feio do Ano Novo correndo feito uma bala: 100, 80, 80, 100.
E entre paradas para prender o capô, os para-lamas, a tampa do motor, o para-choques e soltar o cabo do acelerador, chegamos à Fortaleza precisamente às 16:45 minutos, tempo recorde para um carro que estava parado a cinco longos anos...
- Outra aventura dessas ? Nunca mais !
Se aquele "Fusca" falasse ...

Edilma Rocha

10 comentários:

Aloísio disse...

Edilma,

Viagem pra quem gosta de aventura, só faltou na bagabem o papagaio (rsrsrsrs...).

Abraços
Aloísio

Edilma disse...

Aloísio,

Foi boa!
Eu bem que poderia ter colocado como ficção o "papagaio", mas a história foi real.
O "Pereba" está todo desmontado e vai ficar vermelho metálico. O serviço está indo de vento em polpa.
Parece que se divertiu com esta postagem...
KKKKKKK......

Abraço!

Claude Bloc disse...

Edilma,

Mesmo já tendo ouvido a história pelo telefone, não me contive ao ler o que você escreveu. É realmente hilario!!!!!

Agora me fala: quantos dias você passou para tirar a catinga de gasolina dos cabelos e da roupa? (risos)

Você é muito é corajosa, viu? (ainda estou rindo imaginando você puxando o pedal enganchado... daria um belo de um "vídeo-cassetada". (gargalhando)...

Abração e obrigada por me fazer sorrir (preciso)

Abraço,

Claude

Carlos Eduardo Esmeraldo disse...

Edilma
Desculpe-me. Mas quem compra um carro desse, não precisa comprar qualquer outro tipo de problema. Basta esse. Que bela aventura!

Edilma disse...

Claude,

Não esqueço a frase receptiva na minha chegada em casa do Pedro Julio...
- Vixe mãe a senhora tá podre a gasolina!
A chuveirada foi demorada com direito a óleos aromáticos e depois uma massagem na banheira entre espumas e sais perfumados.
Foi video cacetada na íntegra!
KKKKKKKKKK................

Até menina !

Edilma disse...

Carlos,

Este problema para ele é sempre uma diversão. Adora fazer este quadro de lata velha.
Compra aviões e os deixa novinhos em folha com motores zero.
É só mais um robe desafiador.
Tem doido pra tudo neste mundo.
Olha um aí no texto!
"Celso Tinoco"
Precisamos nos encontrar ainda este mes, Claude e Magali estão combinando.

Até meu amigo !

Magali de Figueiredo Esmeraldo disse...

Edilma,

Que aventura! Lembrei de algumas viagens que fiz com Carlos em um fusca. Parabéns pela narrativa.

Abraços


Magali

Anônimo disse...

o fusca da foto é o fusca citado na historia?

Anônimo disse...

o fusca da foto é o mesmo fusca da historia?

Otacílio disse...

Puxa, Jabor que se cuide. Fiquei agora muito curioso em conhecer o Pereba... Otacílio Peixoto