Criadores & Criaturas



"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
"

(Carlos Drummond de Andrade)

ENVIE SUA FOTO E COLABORE COM O CARIRICATURAS



... Por do Sol em Serra Verde ...
Colaboração:Claude Bloc


FOTO DA SEMANA - CARIRICATURAS

Para participar, envie suas fotos para o e-mail:. e.
.....................
claude_bloc@hotmail.com

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

José Wilker - Um ator cearense

O nome de José Wilker é José Wilker de Almeida. Ele nasceu em Juazeiro do Norte, no Ceará.

Era o dia 20 de agosto de 1947. Artista desde pequeno, começou a trabalhar em Recife, como locutor de rádio. Participou também em teatro no "Movimento de Cultura Popular". O grupo era meio revolucionário. E assim, quando houve a Revolução de 1964, houve perigo e Wilker mudou-se para o Rio de Janeiro. Procurou emprego e, embora bastante jovem, foi fazer seu primeiro filme: "A Falecida", ao lado de Fernanda Montenegro.

No Rio, Wilker fez vários filmes e peças de teatro. Foi se tornando um grande ator. Fez: "A China é Azul"; "Os Inconfidentes"; "O Bofe". Entre 1976 e 1985 ele não trabalhou em teatro. Fez alguns filmes importantes. O principal deles, em 1976, foi: "Dona Flor e Seus Maridos", baseado em um romance de Jorge Amado, ao lado de Sônia Braga e Mauro Mendonça Fez ainda: "Xica da Silva"; "Bye Bye Brasil"; "Bonitinha mas Ordinária"; "O Homem de Capa Preta"; "José Wilker estava consagrado.

Trabalhou ainda em filmes famosos: Fez: "Dida Demais"; "Dias Melhores Virão"; "Como Deixar um Relógio Emocionado"; "O Pequeno Dicionário Amoroso"; "A Guerra dos Canudos". Além disso ele estudou sociologia no Rio de Janeiro. Em 2000 Wilker fez: "Villas Lobos, Uma Vida de Paixões". Em 2002 fez: "Dead in the Water", estrelado por Henry Thomas. Em 2003 fez: "Maria, Mãe de Deus" e "Redenta" em 2004.

Em 2003 Wilker foi eleito presidente do Rio Filmes. José Wilker fez ainda muitos outros filmes. Mas, para o grande público, a importância foi sua atuação em televisão, em novelas e minisséries.

Desde 1970. O Esteve na Rede Globo de Televisão e fez: "Anjo Mau"; "Plumas e Paetês"; "Brilhante"; "Final Feliz"; "Transas e Caretas"; "Suave Veneno"; "Roque Santeiro"; "O Salvador da Pátria"; "Bandeira 2"; "O Bofe"; "Ossos do Barão"; "Gabriela"; "Senhora do Destino e várias outras. Alguns desses títulos tiveram sucesso memorável.

Ele se tornou um dos maiores nomes de cenário artístico nacional. Em 2006 fez, à perfeição, o papel título de "JK", seriado histórico sobre a vida e obra do ex-presidente do Brasil. José Wilker já em 1970 ganhou o Prêmio Moliere, com ator em "O Arquiteto e o Imperador da Assíria" . Em 2007 ganhou o Prêmio Contigo, por sua criativa performance em "Senhora do Destino".

Enfim, José Wilker foi a vida toda considerado um ator extraordinário. Casou-se algumas vezes. Duas vezes foi com Renée de Vielmond, com quem tem um filho, uma vez foi com a Mônica Torres, também com um filho e última vez, no ano 2000, com a bela atriz Guilhermina Guinle, de quem agora está separado.

Muito culto e inteligente, a ele também cabe, na Rede Globo de Televisão, a tradução para o português e toda a apresentação, por ocasião da cerimônia do Oscar.

José Wilker é considerado um dos gênios em atividade na televisão brasileira. Além de ator, foi produtor e diretor de trabalhos de dramaturgia.

http://www.netsaber.com.br/

2 comentários:

Nilo Sergio Monteiro disse...

Coheci Zé Wilker em Juazeiro quando morava lá. Vizinhos convivemos muito tempo. Ele mais velho que eu mas nossas famílias estavam entrelaçadas por laços de amizade antiga dos meus pais com os dele. Seu Severino e D. Santa. Havia um irmão José Wilder que ingressou na Marinha, oficial. Lembro-me de muitas tias, de Auxilaidora sua irmã com quem tinha um afeto especial. Quando José veio para Pernambuco viemos também pois minha avó materna mantinha uma pensão na Rua da Soledade e meu pai negócios em Recife. Os fins de semana passávamso em Olinda em eternas brincadeiras. José montava com um lençol um palco e já dava sinais do que viria a ser. Nós coadjuvantes. Fez teatro no recife e depois seguiu para o Rio. Só o reencontrei no enterro de seu Pai , grande amigo do meu. Fato interessante. Poucos dias antes da morte de Seu Severino meu pai acordou com um pressentimento e disse: vamos pra Olinda quero ver meu amigo. Foi a última vez que conversaram...dois dias depois ele morria. José Wilder, faleceu em trágico acidente na descida da serra das Russas. Engavetou seu carro em um caminhão parado na pista. José seguiu sua trajetória de sucesso. Nunca mais nos vimos.
Tinha notcias esparsas dele através de Auxiliadora. Bom menino do meu Padim Ciço.

Socorro Moreira disse...

Que história !
Eu gosto muito do trabalho de Zé Wilker.
Nunca lembro que ele é do Cariri.Só quando um primo meu